Skip to content

João Henrique Bernardi: Exposição homenageia seu teatro experimental

Quase 10 anos após sua morte, Companhia de Theatro Fase 3 revive em evento homenagem ao diretor

O LONDRINENSE com assessoria

A exposição “Não deixe a história cair, não deixe a história morrer” celebra o legado do premiado diretor paranaense João Henrique Bernardi, que dedicou mais de 20 anos à pesquisa e produção teatral com protagonismo de mulheres idosas. Bernardi, que faleceu em 2014, se tornou referência no teatro experimental brasileiro sendo convidado a compartilhar seu método de trabalho inclusive em outros países.

LEIA TAMBÉM

Quase 10 anos após sua morte, a Companhia de Theatro Fase 3, fundada por Bernardi, revive sob a direção do ator, assistente e amigo Devas Girotto e da atriz e diretora Elaine Oliveira. Na abertura da exposição, o elenco da companhia fará uma performance, homenageando a trajetória do diretor.
O evento será realizado no Centro Cultural Seta (Rua Guararapes, 579) no domingo (19), às 16h. Os visitantes poderão explorar um acervo repleto de vídeos, fotos, objetos de cena, cartazes, textos e esboços de figurinos feitos à mão por Bernardi. A entrada é gratuita.

Para aqueles que não puderem comparecer à abertura, a exposição estará aberta ao público até o dia 15 de junho, de segunda a sexta-feira, das 10h às 12h e das 14h às 16h. Contudo, a performance, que contará com Carmen Mattos e Rosa Galindo, que participaram de várias montagens sob a direção de Bernardi, além de Vilma Valério, Ana Maria de Brito, Irene dos Santos e Júlio Gentil, será apresentada apenas na abertura da exposição.

Bernardi e o combate ao preconceito

O teatro experimental de João Henrique Bernardi é tema de exposição e apresentação, neste domingo (19), no Centro Cultural Seta
João Henrique Bernardi/Divulgação

“Rique combatia o preconceito de idade numa época em que o tema tinha ainda menos espaço no Brasil. O elenco principal, formado por mulheres com mais de 60, 70, 80 anos, protagonizava as montagens, contracenando com jovens atores e até crianças. É uma obra que não merece cair no esquecimento e deve seguir viva, inspirando e estimulando a inclusão e o convívio intergeracional no fazer artístico,” declara o diretor Devas Girotto.

Mira Roxo, à frente do Centro Cultural Seta, acompanhou o trabalho de Bernardi desde o começo e reverencia: “Acredito que reavivar a história da Casa das Fases é contribuir para que os velhos tenham mais oportunidades de fazer arte, despertando generosidade e alegria de viver em todos nós. Era nisso que Rique pensava quando levava suas atrizes para a rua, para os palcos de Londrina e do mundo.”

Exposição “Não deixe a história cair, não deixe a história morrer”

Homenagem ao teatro experimental de João Henrique Bernardi

Abertura com performance da Cia. Fase 3:

19 de maio (domingo) – 16h – Centro Cultural Seta (Rua Guararapes, 579)

Evento gratuito/ Visitação aberta até 15 de junho – Segunda à sexta-feira, das 10h às 12h e das 14h às 16h.

Foto principal: Divulgação

LEIA TAMBÉM – OLondrinensePOD explora o mundo dos gelatos, uma paixão mundial

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.