Skip to content

Notre-Dame de Paris pode ser reconstruída com a ajuda dos videogames

Graças à tecnologia, muitos modelos digitais da catedral consumida pelo fogo foram feitos nos últimos anos.

Oito séculos de história foram postos abaixo quando um incêndio destruiu quase que totalmente a catedral de Notre-Dame de Paris em plena Semana Santa. Prontamente, o presidente francês Emmanuel Macron anunciou que a catedral será reconstruída. E a ajuda para realizar essa tarefa, quem diria, pode vir dos videogames. Como assim? Eu explico.

Modelos digitais detalhados da catedral têm sido feitos nos últimos anos. Um dos mais impressionantes é o trabalho da artista digital Caroline Miousse, responsável pela criação detalhada da construção no jogo Assassin’s Creed Unity, da Ubisoft. Ela levou dois anos inteiros modelando as áreas internas e externas da catedral, num nível de detalhamento que a faz identificar praticamente cada uma das portas e paredes do prédio.

A história de Assassin’s Creed Unity se passa durante o período da Revolução Francesa – e, de uma forma que só quem conhece os jogos da franquia sabe, também no período da II Guerra Mundial. O jogo não é novo, foi lançado em 2014, mas foi um marco para a época: foi o primeiro entre os AC a ser lançado exclusivamente para a atual geração de consoles. Mais do que enorme, a Paris do jogo também é densa, e boa parte dessa densidade é devida ao trabalho detalhado desses artistas digitais.

Em entrevista ao The Verge, Miousse explicou que apesar de o trabalho de recriação da Catedral de Notre-Dame ter sido perfeccionista, a equipe de produção do jogo usou de algumas liberdades criativas na adaptação das paisagens parisienses. Ela disse ter trabalhado com muitas fotos e a ajuda de historiadores, assim como também recebeu ajuda de experts em texturas para garantir a fidelidade de localização de cada pedra do prédio. Até mesmo as pinturas e vitrais foram detalhadamente reproduzidos na Notre-Dame virtual.

Porém, quando chegou a vez dos testers avaliarem o jogo, uma coisa parecia estar faltando. Algumas das torres características do prédio ainda não haviam sido construídas durante o período no qual se passa o jogo. Mandando o rigor técnico/histórico às favas, as torres foram colocadas todas no jogo, para deixar o visual mais parecido com o que todos tinham da igreja na memória.

Ela mesma nunca tinha ido à catedral pessoalmente. Miousse só conheceu a Notre-Dame de Paris depois do jogo pronto. Ela disse ter sido tomada por uma estranha sensação de déjà vu, já que tudo dentro do prédio, das gigantescas portas aos detalhes mais ínfimos eram assustadoramente iguais. Miousse, quando entrou na catedral, disse ter esperando todos os guardas saírem e então deu um beijo em uma das paredes. “Para mim, era como voltar para casa”, disse.

Fotos: divulgação

Fábio Calsavara

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é BIO_CALSAVARA-2-1024x768.jpg

É jornalista e gamer raiz. Do tempo em que criança jogava fliperama em boteco de rodoviária.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.