Skip to content

MP é favorável à ação de investigação contra Mara Boca Aberta por abuso de poder econômico

Parecer encaminhado à Justiça aponta que vereadora eleita foi beneficiada com propaganda política proibida por meio de outdoors pagos com dinheiro público

Telma Elorza

O LONDRINENSE

O promotor eleitoral Ricardo Alves Domingo emitiu, na última terça-feira (15), parecer favorável para ação de investigação contra a vereadora eleita Marly de Fátima Ribeiro, a Mara Boca Aberta (PROS) – a mais votada das últimas eleições de Londrina – por abuso de poder econômico e outras irregularidade. A ação contra a vereadora eleita e seu marido, o deputado federal Émerson Petriv, Boca Aberta (PROS), foi proposta pelo candidato a vereador Marcus Vinicius Gines da Silva. O deputado estadual Matheus Vinicius Ribeiro Petriv, o Boca Aberta Júnior (PROS), também estaria arrolado na ação, mas o promotor pediu a exclusão de seu nome.

Na ação, o proponente pede que seja reconhecido que os investigados “incorreram na prática de abuso de poder político e abuso de poder econômico, por meio de condutas ilícitas, como a realização de propaganda política proibida por meio de outdoors pagos com dinheiro público, divulgação da campanha por meio do Facebook com publicações patrocinadas, doação de cestas básicas, leite e camisetas à população carente, tudo com o intuito de beneficiar a candidatura de Marly”. Segundo o autor, Boca Aberta “valeu-se de sua influência de Deputado Federal e abusou de poder político e econômico para alavancar a candidatura de sua esposa”.

Na análise do mérito, o promotor justifica que o deputado federal, “somente no mês de julho de 2020, gastou em torno de R$25.000,00 com a divulgação de outdoors, inclusive eletrônicos, onde de todos eles constava a fotografia da candidata à vereadora, o que caracteriza abuso de poder político por parte de Émerson Petriv.” Segundo o promotor, “verifica-se que a conduta dos investigados contraria os dispositivos legais, bem como a posição do TSE, tendo em vista que a imagem de Marly de Fátima Ribeiro constava em todos outdoors que foram espalhados pela cidade, tendo, inclusive, tirado fotografias pessoais em frente às placas publicitárias. Assim, tem-se que a então candidata à vereadora foi diretamente beneficiada pelo abuso de poder político de Émerson Petriv, titular de mandato de deputado federal, que utilizou-se de dinheiro público para alavancar a candidatura da sua esposa”.

O promotor aponta ainda que o deputado federal inseriu o nome da candidata em seu plano de governo, caso fosse eleito prefeito do município do Município, “o que demonstra que também nesse sentido abusou de poder político para alavancar a candidatura da referida candidata à vereadora”. Ele também aponta que os gastos com gastos com publicidade patrocinada no Facebook, ao longo dos anos 2019 e 2020, chegaram a um valor superior a R$50 mil de dinheiro público, “anunciando a candidatura da citada candidata, por meio da publicação de imagens, slogans e também do número de sua candidatura”. Além disso, o promotor aponta a vinculação da imagem e o número da vereadora eleita em seus vídeos.

Por causa do dinheiro público, o promotor pugna pelo encaminhamento dos autos à Procuradoria Regional Eleitoral “para determinação das providências que entender cabíveis, tendo em vista que o investigado EMERSON PETRIV é titular de mandato de deputado federal.”

Foto: Print do Instagram de Mara Boca Aberta

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.