Skip to content

JESUS NO CALÇADÃO DE LONDRINA?!?

Muita gente aprecia a performance artística de José Antônio da Silva, que há oito anos ganha a vida como estátua viva. Sem religião definida, ele permanece imóvel por seis horas para personificar o maior líder religioso 

Antônio Mariano Júnior

Equipe O Londrinense

De repente, na contraluz do final da tarde, avista-se ao longe uma figura, digamos, muito familiar. Testa franzida, aquela espichada de olhos, pensamento em voz alta: “não creio!”. Pois creiam, meus irmãos, Jesus Cristo estava no Calçadão de Londrina. Parado, com sua cruz nos ombros, próximo à faixa de travessia de pedestre.

Na verdade, era uma performance de José Antônio da Silva. Que há oito anos ganha a vida como estátua vida – ou estátua humana. Muita gente parou para ver, fotografar, elogiar e deixar uma contribuição financeira espontânea ao artista, de 45 anos.

Uma atividade profissional que requer preparo físico, concentração e, sobretudo, empatia com o público – mesmo estático.  Por causa da Páscoa, José Antônio personificou Jesus Cristo e, pelo jeito agradou. “Não tenho religião, mas não sou ateu. Admiro Jesus Cristo pelo grande líder que foi, talvez o maior. Para mim, Deus é uma força superior”, afirma.

Como estátua viva, José Antônio imobiliza-se diariamente por seis horas consecutivas. Sem intervalos, inclusive para as necessidades fisiológicas, garante. “Não tomo água, não como nada antes de começar a trabalhar. O organismo acaba se acostumando”, afirma o artista de Jataizinho.” Eu escolhi essa atividade profissional porque me proporciona viajar para mostrar meu trabalho”, complementa.

Casado e pai de dois filhos, com base em Jataizinho, ele já fez intervenções públicas em cidades dos estados de Santa Catarina, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e São Paulo. Na época de férias e no final de ano, a esposa e os filhos também entram na parada. Ou seja, transformam-se em estátuas vivas. Juntos, formam a Sagrada Família.

Além de Jesus Cristo, José Antônio também atua como pescador, pirata, cowboy e anjo – a performance mais apreciada. Dependendo do local da apresentação e da temporada, segundo ele, chega a faturar entre R$ 3 e R$ 4 mil mensais. “Não sou apegado ao dinheiro, embora saiba que seja um mal necessário. Vivo dentro das minhas possibilidades. Não é uma profissão fácil ou estável, mas é compensadora porque faço o que gosto”, frisa.

Então, tá!

Confira a entrevista que José Antônio da Silva, artista performático, concedeu ao jornal O Londrinense.

SERVIÇO

As performances de José Antônio podem ser apreciadas neste sábado (20), no Calçadão. No domingo (21), ele estará na feira livre da Avenida Saul Elkind, zona norte de Londrina.

Imagens: Antônio Mariano Júnior/Equipe O Londrinense

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.