Skip to content

Crianças de 3 a 5 anos já podem se cadastrar para vacina contra Covid, mas agendamento está sem previsão

Para aplicação da vacina, a Secretaria Municipal de Saúde ainda aguarda uma publicação de nota técnica do Ministério da Saúde contendo as orientações a serem seguidas

O LONDRINENSE com assessoria

A Secretaria Municipal de Saúde liberou o cadastramento das crianças de 3 a 5 anos de idade para o recebimento da Coronavac, imunizante contra Covid-19. O cadastramento dos dados pessoais das crianças deve ser feito no site da Prefeitura de Londrina (clique aqui para cadastrar). No entanto, a Secretaria aguarda a comunicação do Ministério da Saúde com orientações para a vacinação.

“É importante fazermos um apelo aos pais e responsáveis, que rapidamente possam entrar no site da Prefeitura e fazer o cadastro de seus filhos nesta faixa etária. A expectativa é que a gente consiga efetivamente começar a vacinação no mais tardar, no sábado. Mas, para isso, é importante o cadastro prévio no site da Prefeitura, porque ele nos dará todas as diretrizes e quantidades para podermos nos organizar”, pontuou o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado.

A aplicação do imunizante deve ser feita somente após a emissão de nota técnica, que precisa ser emitida pelo Ministério da Saúde incluindo essa faixa etária no Plano Nacional de Imunização (PNI). A expectativa é que a diretriz seja publicada ainda nesta semana pelo Governo Federal.  “Tão logo isso aconteça, estaremos aptos a liberar o agendamento das nossas crianças maiores de 3 anos”, explicou Machado.

Neste momento, a indicação de vacina contra Covid-19 para as crianças de 3 a 5 anos vale apenas para o CoronaVac, imunizante produzido pelo Instituto Butantan. Os pequenos devem receber a mesma dose aplicada nas crianças de 6 a 17 anos de idade.

Para essa liberação, os técnicos da Anvisa fizeram uma busca ativa de informações que permitissem verificar claramente o benefício da vacina nesta idade, incluindo dados da população já vacinada. Entre os pontos estudados foram levados em consideração as informações entregues pelo Instituto Butantan; o relatório do estudo do Projeto Curumim que avaliou a eficácia, segurança e imunogenicidade da vacina em crianças e adolescentes; o relatório do estudo Immunita, do Instituto René Rachou e Fiocruz Minas; os dados do Programa Vigivac, da Fiocruz Bahia; os dados de vacinação no Chile; e os pareceres de especialistas externos e convidados, além da literatura cientifica acerca do assunto.

A Coronavac está em uso no Brasil desde 17 de janeiro de 2021, sendo que, um ano depois (janeiro de 2022), a Anvisa autorizou o uso em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. Desde março, o Instituto Butantan havia solicitado a ampliação para o público a partir dos 3 anos, que foi aceito agora. Até o momento, duas vacinas contra Covid-19 estão autorizadas para as crianças brasileiras. São elas: a Pfizer, a partir de 5 anos, e a vacina Coronavac.

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.