Skip to content

Sarau das Pretas reverencia Yá Mukumby neste sábado (4)

Precursora do movimento negro será homenageada em evento cultural, que contempla apresentações musicais, performances e contação de história. Entrada franca

Antônio Mariano Júnior

Equipe O Londrinense

Uma das personalidades femininas mais importantes de Londrina será homenageada na terceira edição do Sarau das Pretas, evento tradicional que acontece neste sábado (04). Trata-se de Dona Vilma Santos de Oliveira, mais conhecida como Yá Mukumby (1950- 2013).

Com entrada franca, Sarau das Pretas – Yá Mukumby Vive acontece a partir das 18 horas, horas, na Vila Cultural Cemitério dos Automóveis.  O evento conta com o patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura, o Promic.

Precursora do movimento negro em Londrina e respeitada líder religiosa do Candomblé, Yá Mukumby será relembrada através de vídeos narrando sua trajetória. “O microfone será aberto também para quem quiser reverenciar, de todas as formas, uma mulher negra de imensa representatividade” afirma Fiama Heloísa Santos, integrante do Coletivo Luiza Mahin/ Sarau das Pretas, que promove o evento.

A programação do Sarau das Pretas – Yá Mukumby Vive contempla show com o cantor, compositor e pesquisador Tião Carvalho, além da discotecagem do DJ Jô Moreno, roda de capoeira com o pessoal do Centro Esportivo de Capoeira Angola (CECA).

A novidade desta edição será o espaço dedicado à contação de histórias africanas, para público infantil. A programação terá uma instalação artística, que será montada para a apresentação dos resultados das oficinas feitas ao longo do mês de abril e para uma exposição que contém imagens colhidas durante todo o processo.

Por sua vez, a Feirinha irá comercializar artigos artesanais, linha de cosméticos destinada às mulheres negras, além gastronomia popular (com opção vegana, inclusive).

Inserido como pré-abertura do 15º Festival Literário de Londrina, o Londrix, que acontece entre 6 e 11 de maio, o Sarau das Pretas – Yá Mukumby Vive tem produção da PÁ! Artística e realização do Coletivo Luiza Mahin.

Marielle, Mahin e Mukumby

Nas edições anteriores, realizadas em dezembro de 2018 e março de 2019, o Sarau das Pretas homenageou, respectivamente, Marielle Franco (1979-2018) e Luiza Mahin. Nascida em Costa Mina, na África, no início do século XIX, Luiza foi trazida para o Brasil como escrava. Ela foi uma das articuladoras de levantes de escravos e teve importante participação na Revolta dos Malês (1835) e na Sabinada (1837-1838).

A terceira edição presta tributo à yalorixá Yá Mukumby (Dona Vilma Santos de Oliveira), assassinada no dia 3 de agosto de 2013. A líder religiosa e referência do movimento negro, respeitada nacionalmente, morreu juntamente com mais três pessoas: a mãe, Alial de Oliveira dos Santos, 86 anos; a neta, Olivia Oliveira Santos, 10 anos, e Ariadne Benck dos Anjos, 48 anos, mãe do assassino.  

O nome do assassino, acometido por suposto surto psicótico, naquele dia: Diego Ramos Quirino. Seis anos após a chacina, não se ouve falar mais  nada desse sujeito.

Houve Justiça?

SERVIÇO

  • Sarau das Pretas – Yá Mukumby Vive! Neste sábado (04.05), às 18 horas, na Vila Cultural Cemitério de Automóveis (Avenida Arthur Tomas, 342). Promoção do Coletivo Luiza Mahin. Entrada franca.

Foto: Milton Dória

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.