Uddy e o comércio “pet friendly”

Conheça Uddy, o cão surdo que faz sucesso nas redes sociais, onde tem mais de 60 mil seguidores e adora passear

Raquel Santana

Especial para O LONDRINENSE

Como todos os cães que não passam pelo “controle de qualidade” nos canis de raça, Uddy, um golden retriever que nasceu com deficiência auditiva, já tinha seu destino traçado: seria descartado da ninhada. É ai que entra em cena Karin Egashira, que se apaixonou pelo animal e se comprometeu a ser sua tutora. Mas o que ela não esperava é que, mais de cinco anos depois, Uddy se tornaria uma celebridade nas redes sociais em Londrina, com mais de 67 mil seguidores.

A fama de Uddy foi conquistada graças às suas andanças pela cidade. Para onde vai, Karin leva o animal. Além disso, ele “ajuda” sua dona numa loja de artigos para pets, no Shopping Aurora, um dos locais que admite a livre circulação dos bichos. Como Uddy é surdo, Karin conta que ele é  bastante tranquilo, qualidade indispensável para quem quer circular com animais por espaços públicos. 

Quando quer se comunicar com seu amigo, Karin conta que basta olhar para ele. “O contato é visual”, revela, complementando que, na época em que foi adotado, não achou um adestrador específico para cães deficientes na cidade. “Tive que recorrer aos videos da internet para aprender a me comunicar “, relata. Mas Uddy, pertencente a uma das raças mais inteligentes de cães, aprendeu rapidamente. “Quando quer alguma coisa, ele late. Mas só quando convém. Ele é  surdo mas não é bobo”, diz, rindo.

A fama na internet também faz com que a dupla seja parada nas ruas. “Bastante gente conhece o Uddy. E sempre nos param pra fazer foto e conversar”, relata. O sucesso no Instagram, conquistado através de muitas fotos criativas de um animal bem cuidado e feliz, também trouxe muita gente querendo investir no endereço eletrônico. Mas Karin optou por não aceitar publicidade. “Ele não tem a opção de dizer se quer, ou não”, justifica. Mas o que ela preza, mesmo, é a liberdade de poder se expressar sem compromisso comercial. “Se compro alguma coisa para ele e gosto, digo. Se não, também posso dizer”, pontua.

Pedimos a Karin que nos indicasse os locais preferidos de Uddy para um passeio pela cidade, que concentra mais de 30 bares, cafés, restaurantes e até shoppings, com livre acesso aos animais, os chamados pet friendly. Por exemplo, ele adora tomar agua de côco quando acompanha a dona numa caminhada à beira do Lago Igapó.

Entre os locais liberados para cachorros que a dupla gosta de ir, Karin destaca a Panneteria Palhano, o Madame Gourmet e o Lakes Coffe, este último, o preferido de Uddy. “Somos muito bem tratados em todos eles”, destaca. Karin também lembra que nos shoppings é possível levar os pets, sem problemas. “O comércio da cidade é muito amigável com os animais”, lembra. E como tem liberdade econômica, podem ir com seus pets, sem medo de errar, nos locais indicados pela dupla.

Se você é como nós e se apaixonou pelo Uddy (dá para ver pela quantidade de fotos que a editora colocou, não?), visite e siga seu Instagram @uddy_

Fotos: Acervo pessoal

Mercado em expansão 

Em Londrina há mais de 30 bares, restaurantes e cafés amigos dos animais, fora os shoppings

Entre os locais amigos dos animais que Karin e Uddy gostam de frequentar em Londrina, a protetora destaca o Lakes Coffe Bar, a Panneteria Palhano e o Madame Gourmet. “Vou pelo menos uma vez por semana neles”, afirma.

Inaugurado há apenas três meses, o Lakes, de propriedade do professor de Robótica, Roberto Goto, é ponto obrigatório para quem faz caminhadas à beira do Lago Igapó II. “Pelo menos 50% dos clientes vêm acompanhados de animais “, destaca. Lá, Uddy gosta de tomar e comer água e polpa de côco. Goto reservou o deck do café para quem está acompanhado de animais.

“Tem muita gente que tem preconceito com animal em local que serve comida”, justifica a empresária Elieth Hodas, da Penneteria Palhano, que também aceita animais em seu deck. Mas quem só quer comprar as delícias fabricadas no local e não quer deixar o animal na gaiola disponibilizada pela empresa na entrada, tem a opção de ser atendido na porta. “Levamos o produto e a máquina ou o troco até o cliente”, garante Elieth.

Aberta há nove anos, a Palhanno tem pelo menos 20% de sua clientela frequentando o local acompanhada pelos seus pets. “Hoje em dia a gente tem que se adaptar. Todo mundo tem um animal de estimação em casa “, lembra a empresária.

Outro local frequentado por Uddy é o shopping Aurora, já que Karen trabalha lá. “Ele vem todos os dias comigo, sem stress. É muito bom ter essa liberdade”, destaca Karin.

O que é e onde estão 

A cultura “pet friendly” é recente no Brasil e Londrina é considerada uma das cidades com mais números de bares e restaurantes amigos dos animais no Estado. Há pelo menos 30 bares, cafés e restaurantes que aceitam a presença de animais acompanhados de seus tutores, fora três shoppings (Aurora, Catuaí e Boulevard). Mas atenção: recomenda-se que somente os animais tranquilos frequente os locais públicos. Embora ninguém exija na entrada do estabelecimento, também é recomendável que a saúde do animal esteja em dia. Confira aqui os lugares indicados por Uddy e Karin para levar seu pet pra dar um rolê:

Lake’s Coffe Bar 

Rua Bento Munhoz da Rocha Neto, 1265, (43) 996076388

Terça-feira a domingo, 8h30 às 12h30 e das 15 às 20 horas

Panetteria Palhano

Rua Ernani Lacerda de Athayde, 130, (43) 3338 9300

Segunda a sexta, das 6h30 às 21 horas; sábados das 6h30 às 20 horas e domingos, das 7 às 15 horas.

Shopping Aurora

Avenida Ayrton Senna da Silva, 400, (43) 33727400

Segunda a sábado, das 10 às 22 horas; domingo, das 14 às 22 horas

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *