Qual o custo e composição da Cesta básica? Entenda

Por Cláudio Chiusoli

Quando foi instituída no Brasil a cesta básica? Em qual governo? Acrescento que não é da nossa época, mas a resposta encontra-se no final do texto.

A cesta básica é composta por 13 alimentos: carne, leite, feijão, arroz, farinha, batata, tomate, pão, café, banana, açúcar, óleo e manteiga.

As pesquisas de preços são realizadas pelo DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) nas principais capitais e é responsável pela publicação mensal da pesquisa em todo o país.

Nas atuais circunstâncias, sentimos que tudo está caro quando vamos ao supermercado para comprar itens para casa, o que não é equivocado.

Entramos em uma fase de alta da inflação, que se explica pelo impacto da pandemia, da valorização do dólar, da crise energética e da falta de alguns insumos.

Por causa desses eventos, esse aumento é conceitualmente denominado inflação de custo ou estrutural. Nesse sentido, isso afetará o aumento da cesta básica.

A cesta básica é calculada para o sustento e bem-estar de um trabalhador adulto e contém uma quantidade equilibrada de proteínas, calorias, ferro, cálcio e fósforo.

Segundo levantamento do Núcleo de Pesquisa Econômica Aplicadas, Campus Londrina, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e da Universidade Estadual de Londrina (UEL) apontou que o valor da cesta básica é de R$529 (setembro/21).

Em comparação, na capital Curitiba é cerca de R$ 600 e, em São Paulo, é R$650. A capital mais barata é Aracaju, R$456, e a mais cara é Porto Alegre, R$665 reais (DIEESE, agosto/21). Veja pesquisa.

A cesta básica foi criada para dar valor aos alimentos básicos como uma forma mais simples de definir o valor do salário mínimo.

Para entender a definição de salário mínimo, segundo a Constituição Federal, “é o que todo trabalhador adulto, independente do sexo, deve receber durante uma jornada normal de serviço de forma que atenda às necessidades de alimentação, habitação, vestuário, higiene e transporte”. Ou seja, é o salário mínimo que a empresa deve pagar aos colaboradores para garantir sua sobrevivência. Mas isso é assunto de outro tema, onde pesquisa do Dieese aponta como deve ser o salário mínimo hoje.

E, por fim, para responder a pergunta acima, ele foi criado pelo governo Getúlio Vargas, em 1938.

Fique por dentro. Boa semana. Gratidão!

Cláudio Chiusoli

Professor de Administração na UNICENTRO – Universidade Estadual do Centro Oeste /PR. Economista formado pela UEL. Pós-doutor em Gestão Urbana pela PUCPR.
Mande sua sugestão ou dúvidas para prof.claudio.unicentro@gmail.com. Acompanhe meu canal do YouTube e minhas redes sociais Linkedin, Facebook Instagram.

Foto:Arquivo/AEN

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *