O dólar ainda continuará uma moeda forte?

Por Cláudio Chiusoli

Um amigo que mora nos EUA me enviou um artigo sobre o dólar, que achei muito interessante (confira aqui). E eu vou tentar resumir.

Sem dúvida, os Estados Unidos são a maior força armada do globo e também tem sua moeda como o mais poderoso instrumento monetário do mundo, uma vez que é utilizado como reserva internacional por vários países.

Agora, com quase 80 anos de domínio do dólar – começando após o fim da Segunda Guerra Mundial -, os Estados Unidos podem perder seu status de moeda de reserva global. Será?

Hoje é utilizado nas reservas internacionais (moeda estrangeira para fazer frente negociação com o exterior) dos bancos centrais do mundo, como moeda padrão nos mercados internacionais de commodities e como padrão de preços para empresas globalizadas. No mercado de ações, por exemplo, o impacto do dólar americano pode ser sentido como muita clareza.

Cerca de 60% das reservas globais de US$ 12,8 trilhões dos países estão atualmente em dólares americanos.

Mas agora a luta é global e a guerra entre a Rússia e a Ucrânia levanta essa questão.

Em um estudo recente, o Fundo Monetário Internacional (FMI) descobriu que a participação do dólar nas reservas internacionais vem caindo nos últimos 20 anos, enquanto a moeda chinesa, o Yaun, subiu.

Por causa da guerra, o governo russo, ao exportar gás natural para países europeus, tem exigido a abertura de contas bancárias russas e o pagamento em rublos. A Arábia Saudita, por outro lado, está em negociações para aceitar yuan em vez de dólares para as vendas de petróleo a China.

Ainda assim, os EUA continuam atraentes para o resto do mundo porque o mercado de ações é o maior e mais líquido mercado do mundo. O capital estrangeiro está fluindo para o país, especialmente devido a sinalização ao aumento das taxas de juros nos EUA por causa do aumento da inflação.

O dólar pode ser destronado, nada é impossível. Mas o texto conclui que há poucas chances de os Estados Unidos perderem esse privilégio.

Só tempo o tempo dirá, por essa briga de potência global.

Fique por dentro. Boa semana. Gratidão!

Cláudio Chiusoli

Professor de Administração na UNICENTRO – Universidade Estadual do Centro Oeste /PR. Economista formado pela UEL. Pós-doutor em Gestão Urbana pela PUCPR.
Mande sua sugestão ou dúvidas para prof.claudio.unicentro@gmail.com. Acompanhe meu canal do YouTube e minhas redes sociais Linkedin, Facebook Instagram.

Foto: Pexels

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.