Entenda a relação entre investimento na produção e taxas de juros!

Por Cláudio Chiusoli

Qual é a relação entre investimento produtivo e taxas de juros?

Qual a explicação do ponto de vista econômico, considerando outras variáveis que interferem?

Tenha em mente que o campo da economia estuda os processos de produção, distribuição, acumulação e consumo de bens materiais e, portanto, não é uma ciência exata de 2 + 2 igual a 4.

Existem muitas variáveis que podem interferir nos resultados empresariais de um negócio.

Primeiramente, verifica-se nos últimos 12 meses (março/21 a abril/22), o índice de preços ao consumidor amplo (IPCA) calculado pelo IBGE atingindo 12,13% e o IGPM, calculado pela Fundação Getúlio Vargas, em 14,77%.

O investimento na produção está na relação inversa com a inflação e juros (Selic atual é de 12,75%), pois implicará se o empresário tende a investir ou não, como oportunidade de maior resultado, ou seja, sua rentabilidade.

Pois bem, nessa situação, os juros aumentaram por conta da proposta de conter a inflação, e certamente acaba afetando o investimento produtivo.

Assim, as taxas de juros afetam diretamente o nível de investimento privado no país.

Quando as taxas de juros estão altas, os níveis de investimento caem porque mais dinheiro é ganho nos mercados financeiros do que investido na produção.

Quando as taxas de juros caem, a relação se inverte, mais dinheiro é ganho com a produção do que com os mercados financeiros.

Como exemplo, para entender melhor essa relação:

Considere que a taxa de juros atual é de 1% ao mês e, para investir na produção, a rentabilidade é de 0,7%. Então um empresário disposto a investir seu capital de R$ 100 mil no mercado financeiro receberá R$ 1.000 , ao invés de investir na produção pois ganharia R$ 700 reais. Portanto, parece mais conveniente manter o investimento no banco do que investir na produção.

Por outro lado, pense ao contrário, se a taxa de juros fosse 0,5% ao mês e a rentabilidade fosse o mesmo do exemplo anterior, em 0,7% ao mês. Assim, quando o gestor investir os mesmos R$ 100 mil reais na produção ele receberá um retorno de R$ 700, e se optar pelo mercado financeiro, receberá R$ 500.
Naturalmente, torna-se mais vantajoso canalizar o capital para a produção.


Nesse sentido, ocorre uma relação inversa, quanto maior a taxa de juros, menor tende a ocorrer o investimento na produção, o que é justificado sua alta pela política monetária para conter a alta da inflação.

Fique por dentro. Boa semana. Gratidão!

Cláudio Chiusoli

Professor de Administração na UNICENTRO – Universidade Estadual do Centro Oeste /PR. Economista formado pela UEL. Pós-doutor em Gestão Urbana pela PUCPR.
Mande sua sugestão ou dúvidas para prof.claudio.unicentro@gmail.com. Acompanhe meu canal do YouTube e minhas redes sociais Linkedin, Facebook Instagram.

Foto: Pexels

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.