Diário de Resistência: Arte, artesanato e coragem!

Por Angela Diana


A diferença entre arte e artesanato, conforme o dicionário: ” Arte é a expressão e a emoção do artista, usando várias ténicas para isso. Artesanato é feito com o intuito de vender e é acompanhado com algum tipo de técnica e habilidade adquirida com anos de prática”… Bom, nem é preciso dizer que tem momentos que as duas “definições” se confundem, né? Lógico que a obra feita por artistas plásticos também podem ser vendidas e quem faz artesanato também coloca o coração no trabalho… Isso é bem óbvio!

Mas o que eu gostaria de propor hoje na coluna é uma reflexão sobre a expressão: “Isso é coisa de mulherzinha”! Expressão machista ao extremo e mais uma forma de abafar, afogar, menosprezar o trabalho das mulheres! Por exemplo: durante anos só as mulheres bordavam, teciam… Os homens não! Tudo o que fosse de artesanato era considerado inferior! Mais uma forma de tirar a identidade e a força das mulheres! É ate ridículo, né? Sem elas , o que os “machões” iriam vestir?

Foto: Instagram @juniorcrocheteiro

Para as mulheres sobravam o trabalho artesanal e toda a enorme carga de uma casa e criação dos filhos! Então, quando o “homem da casa” sofria algum golpe duro do destino, como perder o emprego , era o “trabalho de mulherzinha” que mantinha a comida na mesa e etc.! Costura, bordado, crochê, renda de bilro, pinturas de tapetes ou guardanapos….Ihh! Tanta coisa!! Tantas técnicas, feito pelas mulheres para garantirem que os filhos não passassem fome em meio as crises…

Lembro que minha bisa Olga Fontana, fazia costura e crochê, com as mãos tortinhas (provavelmente ela tinha artrose ou artrite, na época não chegaram a nenhum diagnóstico), seus dedos eram curvos como as garras de um pássaro! E ela fazia belíssimos crochês! E nessa ela ensinou para o Roberto (vulgo Nenê), nosso amigo de infância! Ele quis aprender e ela ensinou! Numa época que menino só brincava com bola e carrinho! Hoje, a grata surpresa é ver toda uma meninada mais jovem , voltando às técnicas milenares e elevando o crochê para seu lugar (merecido) de honra!

Foto: Instagram @pablo.croche

E aqui cito o @juniorcrocheteiro e o @pablo.croche, visite o insta deles! Olhe a habilidade e o amor incondicional que eles colocam nas peças! E nas artes plásticas, veja as obras do Ernesto Neto! Ele usa o crochê para fazer trabalhos imensos e imersivos! A arte, o artesanato, as técnicas não pertencem a gênero nenhum, elas são de quem gosta do que faz e de quem tem coragem para colocar todo o seu tempo e o seu coração na obra. O “trabalho de mulherzinha” deveria ser exaltado!

 A coluna de hoje é um muito obrigada a todos, todas e todes que não deixam morrer técnicas lindíssimas e milenares! Parabéns para quem faz “trabalho de mulherzinha”! Você está ajudando a melhorar esse mundo! 

#eufaçotrabalhodemulherzinhacomorgulho

E assim seja! E colabore, pessoal, com nosso amado jornal através do Catarse

Angela Diana

Sou londrinense e me dedico à arte desde 1986 quando pisei pela primeira vez no atelier de Leticia Marquez. Fui co-fundadora da Oficina de Arte, em parceria com Mira Benvenuto e atuo nas áreas de pintura, escultura, desenho e orientação de artes para adolescentes e adultos.

Foto principal: Gaia Mother Tree, Ernesto Neto | FOTO Fondation Beyeler Mark Niedermann

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.