Diário de Resistência: A arte e a política

Por Angela Diana

Dizem que nós, humanos, somos seres “políticos”. Sei que o significado é ligado a quem administra, organiza… O caso é que (me perdoem quem pensa diferente) artistas JAMAIS deveriam estar nesse meio político! Artistas atuam com suas obras e não em palanques e plenários! Lógico, que não faz mal algum ser bem informado e a luta para que a profissão de artista plástico seja reconhecida requer que tenhamos um mínimo de “saber” sobre politicas públicas. A meu ver, todas as vezes que artistas se metem a serem políticos ou politicas, seu trabalho morre e, de certa forma, ele ou ela morrem juntos!

Desconheço qualquer artista que já tenha se embrenhado nesse meio nefasto e tenha saído incólume! É, gente! “Incólume”, sim. Estou “gastando” meu parco vocabulário porque a ocasião exige!

A arte deve sim dizer, mudar, atravancar o meio de campo de ditadores, gritar pela liberdade, mas jamais ser usada como propaganda política! Claro, podemos citar os muralistas mexicanos como Diego Rivera que, na época, pintava para propagar as ideias políticas. Esse era seu tema!

Mural de Diego Rivera na Cidade do México -Foto: Reprodução da interner

Mas nem por isso ele deixou de ser um grande artista, chegar nesse nível é extremamente difícil! Porque ele estava propagando seus ideais de mundo através da arte e não em um palanque ou em um cargo público!

Gostaria de dizer que toda vez que um artista, seja em que área for, se mete em partidos, dá MERDA! Antes de sermos artista somos gente! E gente é facilmente “comprável”, basta dar uma “colher de chá” de poder! Qualquer poderzinho faz a “estrela” subir! 

E poder aliado com dinheiro é a fórmula perfeita para qualquer despreparado ir direto para o abismo! É como vender a alma!

Chega num nível que aquela ou aquele não está mais representando a classe, ele fala por si só e por todas as vantagens que qualquer cargo na política desse país acarreta! Somos sim, um povo corruptível! E criamos cobras e ratos corruptos o tempo todo!

Aqui, no Brasil, fazem uma propaganda contra os artistas de tal forma que, mais do nunca, somos marginalizados!

E dizem que a arte não dá dinheiro! Mas dá sim! E se em países mais desenvolvidos, a arte, pelos meios dentro da lei, devolvem para a sociedade mais que o dobro do dinheiro público investido em museus, galerias e projetos.

Que dirá quando é o lado B, ou seja: quando a arte é usada para coisas ilícitas como lavagem de dinheiro…

Não se enganem, aqui acontece isso e muito mais do que nossa vã imaginação alcança! Dinheiro federal para a cultura ou para os criadores dificilmente chega nas mãos de quem realmente produz a cultura. É lavado, passado, colocado bem longe do nosso alcance.

Saibam que, enquanto vários criadores, trabalhadores da cultura estão lutando para pagar aluguel ou para comer, muita gente no meio está muitíssimo bem! Aproveitando tudo o que pode e muito mais.

A política nesse país é suja! E para mudar, nós como povo, devemos mudar primeiro. Mas, enquanto o tal “jeitinho brasileiro” imperar, não sairemos dessa fossa que estamos!

Artista foi feito para FAZER ARTE, FAZER OBRAS, FALAR ATRAVES DO SEU TRABALHO! O que me lembra Frans Krajcberg, que lutou a vida toda pela ecologia, com uma obra e um discurso potente! Sempre a obra em primeiro lugar!

Frans Krajcberg -Foto: Reprodução da internet

Artistas já combateram o nazismo e ditadores dos mais baixos níveis, através de suas obras! Artista que não tem obra para mostrar acaba sempre com um discurso vazio e sobra só o conceito de “alguma coisa”.

A obra vem na nossa frente, somos como antenas, que captam e transformam em imagens, sons, movimentos, etc, o mundo ao nosso redor e tudo o que importa no momento, no futuro ou no passado.

Para arte não existe esse “tempo” contado no relógio e no calendário! 

Que mais artistas SEJAM realmente artistas e não apenas marionetes de politicagens.


Carpe diem! E colaborem com nosso querido jornal no catarse.me/olondrinense

Foto principal: O levante, de Diego Rivera/reprodução da internet

Angela Diana

Sou londrinense e me dedico à arte desde 1986 quando pisei pela primeira vez no atelier de Leticia Marquez. Fui co-fundadora da Oficina de Arte, em parceria com Mira Benvenuto e atuo nas áreas de pintura, escultura, desenho e orientação de artes para adolescentes e adultos.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.