Fraude eleitoral: aposentado é preso tentando vender lista de eleitores de Londrina

Celular e pendrive foram apreendidos e serão periciados

Telma Elorza

O LONDRINENSE

Um aposentado de 65 anos foi preso em flagrante na tarde de ontem, em um hotel de Londrina, ao tentar vender uma listagem com 300 mil nomes e dados de eleitores registrados na Zonas Eleitorais do Município. A prisão foi armada junto à Polícia Federal e ao setor de inteligência da Polícia Militar por dois pré-candidatos a vereador, que foram procurados pelo aposentado. O homem foi preso, mas pagou fiança de R$5 mil e foi liberado. Seu celular e o pendrive com os dados foram apreendidos pela PF e devem passar por perícia.

Segundo o policial rodoviário federal licenciado Claudinei Santos, o Santão, ele foi procurado pelo aposentado no final de agosto. O aposentado teria oferecido uma listagem completa com todos os dados de 300 mil eleitores de Londrina – inclusive telefones e endereços – para “alavancar” sua campanha eleitoral. “Ele me mandou uma amostra com dados de leitores de outros pontos do País, eu confirmei no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e eram verdadeiros. Queria R$5 mil pela listagem completa e me pediu para indicar outro pré-candidato que também estivesse interessado”, conta Santão. Já pensando em entregá-lo à Polícia, Santão conversou com o empresário e ex-sargento do Exército Jonatas Aparecido Domenciano, o Jatobá, também pré-candidato. Os dois procuraram então a Polícia Federal, a PM e o Ministério Público Eleitoral e montaram o flagrante. Quando o homem entregou a lista, foi preso pelos dois em uma prisão civil.

De acordo com Santão, os dados devem ter sidos fornecidos por algum funcionário do TSE, “porque dificilmente hackers teriam conseguidos dados tão completos”, afirmou. Segundo Jatobá, com uma listagem dessas, qualquer candidato com maior poder aquisitivo poderia se eleger facilmente. “Ele contrata 100 linhas de telefone e com um mailing direcionado ao bairro ou região, manda mensagens políticas. Aí o cara que ninguém conhece é eleito e ninguém sabe explicar como. Isso é fraude eleitoral”, afirmou.

De acordo com ambos, o aposentado teria dito que seria a primeira listagem a ser vendida em Londrina mas que já teria vendido uma em Ibiporã e em outras cidades do país. “Ele nos disse que foi aliciado por uma outra pessoa e receberia comissão de R$1 mil por venda. A PF vai investigar tudo e se alguém comprou, vai se ferrar”, disse Santão. Jatobá tem quase certeza que o homem já teria realizado alguma venda em Londrina. “Do jeito que ficou nervoso quando recolheram o celular dele, pode ser que já tivesse vendido a alguns pré-candidatos da cidade. Infelizmente, isso põe em risco as eleições não só em Londrina, mas em todo Brasil”, disse.

O LONDRINENSE está tentando falar com o delegado João Marcos Rossafa Correia, responsável pela prisão. Foi solicitado que mandássemos um email para o delegado-chefe substituto Altair Aparecido Galvão Filho, para que autorizasse a entrevista. Também está tentando falar com Promotoria Eleitoral. Assim que tivermos respostas, atualizaremos as informações.

Foto:TSE

Compartilhar:

3 comentários em “Fraude eleitoral: aposentado é preso tentando vender lista de eleitores de Londrina

  • 10 de setembro de 2020 em 14:27
    Permalink

    É preciso, urgente, verificar a quem o vendedor de dados sigilosos já efetivou entrega da lista e se em Londrina, houver algum pré-candidato envolvido, deve ser cassada sua candidatura.

    Resposta
  • 10 de setembro de 2020 em 18:27
    Permalink

    Que bom que interceptaram o Cara.
    Jatobá, agora é necessário conhecer quem comprou o “pacote” e impugnar suas candidaturas. Depois saber quem vendeu essa informações. A mim, parece ser uma quadrilha bem montada. Espero que a Polícia Federal consiga resolver essa questão.

    Resposta
  • 12 de setembro de 2020 em 16:40
    Permalink

    Estranho que jornais de grande circulação na cidade não publicaram uma linha sequer sobre isso.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *