Por Cassiano Russo, professor de Filosofia Olho para o papel em branco, que também olha para mim. Encaro sua brancura por alguns minutos na tentativa de preenchê-lo, de dar-lhe vida. É muito mais fácil escrever quando estou deitado, quase dormindo, quando todas as narrativas se passam pela cabeça minha cabeça.Leia mais

Compartilhar: