Por Telma Elorza

“Há algum tempo, não consigo mais ter prazer com mulheres comuns, só prostitutas e travestis. No começo achava que era apenas porque era objetivo e fácil. Eu escolhia, pagava e tinha meu prazer. Mas, de repente, que eu não procuro mais ninguém para namorar e quando consigo ter uma relação casual, não tenho prazer. Não me satisfaz mais. Já estou numa idade em que até penso em casar e sossegar, mas não consigo gostar ou ter tesão em uma pessoa para isso. Será que preciso buscar ajuda?”

O leitor não especificou a idade e nem quanto tempo vem se relacionando exclusivamente com prostitutas, mas vamos tentar ajudar mesmo assim.

O primeiro passo é tentar entender porque o leitor busca apenas o sexo pago e só ter prazer assim. Como parece incomodá-lo a ponto de questionar se precisa de ajuda, então seria legal conversar com um psicólogo para entender a fundamentação por trás disso. Pode haver questões mal resolvidas em sua vida, que o leva a buscar o sexo fácil e nada exigente com uma prostituta. Um medo de um relacionamento emocional, talvez? E qual seria o porquê esse medo? Isso só pode ser descoberto em terapia.

Pode ser também um fetiche que saiu do controle e se tornou um vício. Novamente, somente um psicólogo pode ajudar.

Uma enquete realizada por um site mostrou que a maioria dos clientes de prostitutas são homens que buscam praticidade e falta de compromisso, os principais motivos para escolherem ter sexo pago. E isso é até compreensível.

No entanto, eu não consigo deixar de pensar se também se não há uma certa “preguiça” ou egoísmo nível hard no caso. Sem fazer qualquer julgamento, porque não temos todas as informações para isso.

Mas é muito mais fácil e leve pagar para fazer sexo, com uma pessoa que não vai exigir nada além do dinheiro, do que ter uma namorada, amante ou esposa. Afinal, a maioria das mulheres ainda exige um envolvimento emocional para ter relações sexuais. Poucas buscam sexo casual, o sexo apenas como forma de liberar as tensões, como os homens fazem comumente. Embora o número de mulheres, nesse caso, venha aumentando, é comum ver tambémabandonarem a prática quando se apaixonam e passam a se dedicar exclusivamente a seu objeto de amor.

Para o homem, sexo casual é mais simples. No entanto, ainda há um “custo” que pode ser traduzido em investimento de tempo e atenção até conseguir levar as mulheres para cama. Além disso, ele tem que pensar também no prazer delas. Satisfazê-las na cama também exige dedicação e esforço, o que parece ser demais para alguns.

Com prostitutas, a relação é basicamente comercial: pagou, comeu. Não precisa caprichar nas cantadas, no papo, no convencimento. Não precisa pensar no prazer dela. Se ela não gozar, não vai sair por aí o chamando de fode-mal para as amigas. Não se espera que o cliente satisfaça a prostituta. Elas podem fingir à vontade, apenas para massagear o ego do cliente.

São tantas as possibilidades que, só conhecendo o caso à fundo, poderia tirar conclusões. Por isso, o mais indicado mesmo é que procure um psicólogo.

Quem é Telma Elorza, a Tia Telma?

Jornalista, divorciada, xereta por natureza e que sempre se interessou muito por sexo. Com a vida, aprendeu várias coisas, mas a principal é que sexo é uma coisa natural e deve ser sempre prazeroso.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.