Skip to content

Taxa Selic em 11,75% deixa algumas aplicações conservadoras mais atrativas

Por Cláudio Chiusoli

Outra alta da taxa, a Selic, que subiu para 11,75% ao ano, o maior percentual desde fevereiro de 2017. O Banco Central (BC) decidiu por unanimidade aumentar os juros pela 9ª vez consecutiva.

Notadamente, o Copom sempre eleva a taxa Selic na tentativa de controlar a inflação.

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) acumula alta de 10,54% nos 12 meses até fevereiro deste ano.

O problema é que a inflação está bem acima da meta estipulada que é de 3,5% ao ano. Analistas destacaram que uma das razões, além das questões macroeconômica, é devido ao efeito da guerra entre Rússia e Ucrânia, que tem pressionado a inflação no mundo, especialmente no Brasil.

A lógica é a seguinte:

Quanto maior a Selic, mais atrativo é o investimento, as pessoas guardam mais, o consumo tende a diminuir; à medida que o consumo diminui, o preço tende a queda e, quando o preço diminui, a inflação, também cai.

Este é um lado negativo, levando em conta que os juros do crédito estão mais caros. Mas por outro ponto de vista, as alternativas de aplicações mais conservadoras, poupança e aplicações de renda fixa, têm um aspecto positivo: rendem mais. A poupança é um investimento que é diretamente afetado pela queda ou alta da taxa de juros devido à variação da Selic.

Qual é a regra?

Se a taxa Selic for igual ou inferior a 8,5% ao ano, o cálculo do rendimento sobre a aplicação da poupança é considerar 70% da taxa Selic mais a TR (taxa referencial).

Atualmente a poupança passou a ser de 0,50% ao mês, o que equivale a 6,17% ao ano, independentemente do valor da Selic, pois está acima de 8,5% ao ano.

Outra consideração a ser feita, é que o CDI, sigla para Certificado de Depósito Interbancário, que mostra a taxa de juros cobrada em empréstimos entre bancos por apenas um dia, é influenciado pela Selic, onde o CDI é a referência para a maioria das aplicações de renda fixa pós-fixada.

Então, quando a Selic sobe, o CDI também sobe. Quando a Selic cai, o CDI também cai.

Quer ter o relatório completo do COPOM? Acesse este link.

Cláudio Chiusoli

Professor de Administração na UNICENTRO – Universidade Estadual do Centro Oeste /PR. Economista formado pela UEL. Pós-doutor em Gestão Urbana pela PUCPR.
Mande sua sugestão ou dúvidas para prof.claudio.unicentro@gmail.com. Acompanhe meu canal do e minhas redes sociais Linkedin, Facebook Instagram.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.