RenovaPR é tema de encontro na ExpoLondrina, nesta terça-feira

Programa estadual oferece oportunidade para produção sustentável com redução e custos nas cadeias produtivas do agronegócio

O LONDRINENSE com assessoria

Lançado em agosto do ano passado pelo governo do Estado, o Programa Paraná Energia Rural Renovável (RenovaPR) é o tema do “Encontra Renova Paraná – Energia Renovável para Todos”, na ExpoLondrina. Programado para a próxima terça-feira (5) sob a coordenação do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR), o encontro é aberto à participação de produtores e profissionais da área e vai debater a importância da geração de energias renováveis nas propriedades rurais com objetivo de agregar valor e reduzir custos nas cadeias produtivas do agronegócio. A perspectiva para este ano é concluir 12.300 ligações de energia própria na zona rural e chegar em 2030 à marca das 100 mil unidades produtivas atendidas no Paraná. 

A meta é ambiciosa mas não assusta Herlon Almeida, coordenador estadual do RenovaPR. Ancorado por legislação estadual que garante status de política pública ao programa, o RenovaPR oferece ao produtor a oportunidade gerar sua própria energia e, no curtíssimo prazo também o seu combustível, por meio da instalação de equipamentos geradores de energia solar ou da utilização do biogás. “É tecnologia à serviço da sustentabilidade e competividade da produção paranaense, um diferencial que valoriza nossos produtos nos mercados brasileiro e internacional”, garante Herlon Almeida.

O lançamento do programa levou em conta o alto impacto do custo da energia elétrica na cadeia produtiva do agronegócio – em especial, na área das proteínas animais – além do fim do subsídio federal à energia elétrica rural até  2023. “Este é um segmento (proteína animal) muito dependente de energia. Sabemos, por exemplo, que a energia elétrica representa 25% do custo de produção do quilo do frango. Altíssimo impacto que interfere na competitividade”, avalia Almeida. E completa: “Podemos mudar esta realidade produzindo energia renovável nas propriedades rurais para que o produtor produza este insumo e não seja tão dependente dele”.   

Faltam recursos – Para atender à demanda dos produtores rurais em todo o Estado com tecnologia confiável pelo RenovaPR, o Estado já credenciou 440 empresas especializadas em energia solar para o fornecimento de placas fotovoltaicas e 16 no segmento do biogás. Atualmente o Paraná conta com cerca de 1.800 projetos concluídos, o que representa um investimento de R$ 316,4 mi, proveniente de agentes financeiros privados. Ao aderirem ao programa, os produtores contam ainda com o apoio financeiro do governo do Estado que banca, com recursos próprios, 5% da taxa de juros das operações contratadas.  

No entanto, a expansão do RenovaPR enfrenta limitações com a atual escassez de crédito rural oficial no mercado. Animado com o grande potencial da iniciativa, o coordenador do programa espera que a falta de recursos seja superada para atender à crescente demanda pela geração de energia renovável nas propriedades rurais. “Tanto do ponto de vista técnico como econômico o programa é totalmente viável. Financeiramente dá retorno ao produtor, se paga em 42 meses, sendo que as linhas de crédito disponíveis trabalham com prazo de 60/72 meses”, inofrma Almeida lembrando ainda que os projetos oferecem garantia de 25 anos dos equipamentos pelos fabricantes.

Encontro na ExpoLondrina – Com a presença do secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o “Encontro Renova Paraná” será realizado no recinto Milton Alcover, no Parque de Exposições Ney Braga, a partir das 13h30. O evento aberto à livre participação de todos os interessados será realizado no formato presencial, com transmissão on-line pelos canais do IDR.

Além de debater a importância das energias renováveis para as cadeias produtivas do agronegócio, os coordenadores do evento vão explicar o passo a passo para adesão ao RenovaPR e apresentar a experiência de produtores que já usufruem dos benefícios das novas tecnologias implantadas.

Para aqueles que não puderem acompanhar o evento, as informações sobre o RenovaPR estarão disponíveis até o dia 10, na “Fazendinha”, na área onde são apresentadas as alternativas de energia solar e biogás, atividade que é uma parceria do IDR com o grupo B&F Solar e o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Estadual de Londrina (UEL).  

Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.