Prefeitura entrega mais de 9 toneladas de ração animal a ADA

Doação feita pela Município soma mais de 13 toneladas de alimento animal dados à entidade em 2022; ação faz parte da política pública de bem-estar animal

O LONDRINENSE com assessoria

Na manhã desta sexta-feira (1º), o prefeito Marcelo Belinati e o secretário municipal de Ambiente, Ronaldo Siena, entregaram 9.375 quilos de ração animal, doadas pela Prefeitura de Londrina, para a Associação Defensora dos Animais de Londrina (ADA). A entrega aconteceu na sede da Secretaria Municipal de Ambiente (Sema), que fica dentro do Parque Municipal Arthur Thomas, situado à Rua da Natureza, 155, no Jardim Piza.

Ao todo, foram distribuídos 375 pacotes de 25 quilos de ração para cães à instituição, que custaram R$ 54.187,50. O dinheiro utilizado para a aquisição advém do Fundo Municipal de Proteção aos Animais (Fupa), que é constituído por recursos de multas pagas por quem maltrata animais e por emendas parlamentares.

Foto: Vivian Honorato

Essa foi a segunda doação feita à ADA em 2022. A primeira foi realizada em 7 de março deste ano, em que o Poder Público deu 3.750 quilos de ração.

Com isso, em 2022, a Prefeitura já doou mais de 13 toneladas de ração para os cães da ADA. “Hoje, entregamos mais de 9 toneladas de ração para a ADA, que é uma parceira muito importante para a Prefeitura, porque ela ajuda a cuidar dos animais que foram abandonados nas ruas da cidade ou que eram vítimas de maus-tratos animais. Então, temos muita consideração pelo trabalho que eles desenvolvem e esperamos poder fortalecer cada vez mais a política pública de bem-estar animal, para conseguirmos ajudar não só essa associação, mas outras entidades e famílias vulneráveis que precisam”, disse o prefeito Marcelo Belinati.

Foto: Vivian Honorato

Segundo o secretário municipal de Ambiente, Ronaldo Siena, a ideia é que até o final deste ano novas entregas sejam realizadas não somente para a associação, mas também para as famílias em vulnerabilidade cadastradas no Programa do Banco de Ração e para os tutores da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público SOS Vida Animal. “Nosso Banco de Ração já ultrapassou 900 cadastrados, sendo que, durante a pandemia, esse número aumentou por causa da crise econômica gerada no país. Então, temos um grande volume de famílias e entidades cadastradas no programa, para atendermos. Mas, até final do ano, estamos programando mais algumas entregas e, se tudo der certo, mais famílias, protetores animais e entidades vão receber ração”, afirmou o secretário.

A ração comprada pela Prefeitura é chamada de Super Premium, considerada de ótima qualidade, por possui alto teor proteico e todos os nutrientes essenciais para a saúde animal, como os aminoácidos, ácidos graxos, vitaminas e minerais. Com ela é necessária uma porção menor para nutrir mais os animais.

Foto: Vivian Honorato

Segundo a fundadora e presidente da ADA, Anne Moraes, por ser uma ração de excelente qualidade, com a quantidade recebida hoje será possível manter os animais alimentados, pelo menos, com uma refeição por dia, durante um mês inteiro. Isso porque, atualmente, o local acolhe 960 animais.

“Essa é a segunda doação de grande volume que a ADA recebe e faz muita diferença, porque no momento em que a gente está passando, a crise está pegando e apertando a gente. Se chegar lá na ONG agora, o nosso container está vazio. A gente não tinha ração para hoje. Então, essa doação de hoje é muito importante. As pessoas não têm noção do peso que estão tirando das minhas costas”, agradeceu a fundadora presidente da associação.

Foto: Vivian Honorato

Na associação trabalham, atualmente, 17 funcionários registrados, que atuam na limpeza do espaço, nos cuidados à saúde animal e na manutenção da entidade. “Eu já fui voluntário na ADA e hoje faço um trabalho independente com a minha equipe. Mas, a ADA é a única ONG de Londrina que tem espaço físico. São duas chácaras com cerca de mil animais. Então, essa doação é muito importante. É uma quantidade bem significativa que, com certeza, vai fazer a diferença para os animais”, disse o vereador da causa animal, David Wisley.

Outras doações – As famílias em situação de vulnerabilidade social, cadastradas no programa Banco de Ração da Prefeitura, também já receberam ração doada pela Prefeitura neste ano. Foram 15.462 quilos de ração entregues a eles. Além disso, em 2020, outras 618 unidades de ração, pesando 9.270 quilos de comida animal já haviam sido entregues gratuitamente à ADA e para os protetores animais da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público SOS Vida Animal.

Foto: Vivian Honorato

Segundo a vereadora da causa animal, Daniele Ziober, de acordo com o quantitativo de cadastros confirmados no Banco de Ração de Londrina, seria necessário aplicar cerca de R$ 600 mil por mês para comprar ração para todos os animais que vem sendo cuidados. “Isso é muito difícil, por isso as entregas tem que ser esporádicas e fracionadas conforme vamos conseguimos dinheiro no fundo e vamos repassando para ajudar os animais”, explicou a vereadora.

Foto: Vivian Honorato

O Banco de Ração de Londrina faz parte da política pública de bem-estar animal instituída pelo prefeito Marcelo Belinati em maio de 2018, sob a Lei Municipal nº 12.695. Ele foi o primeiro banco público criado no Brasil e tem servido de exemplo para muitos municípios, segundo Ziober.

De acordo com o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada, essa política pública recente, criada por Marcelo Belinati, vem recebendo atenção da administração. “Antes não existia nenhum investimento na área, mas nós criamos a Diretoria de Bem-Estar Animal, com estrutura e condições para o trabalho de fiscais e veterinários; o Castramóvel e do Programa do Banco de Ração. Agora, há um esforço da administração para a criação do Centro de Bem-Estar Animal, que está com o projeto pronto e em fase final de cotação de orçamento. A ideia é lançarmos o edital de licitação nas próximas semanas”, contou Canhada.

De acordo com dados da Sema, cerca de 80% de todo o montante empenhado no momento já foi utilizado para a compra de alimento animal. O valor total gira em torno de R$ 280 mil. Além desse montante, mais R$ 70 mil devem se somar em breve, o que possibilita a compra de mais 13 toneladas de ração. A expectativa é que, na próxima semana, uma nova entrega de ração seja iniciada pela Sema, mas, dessa vez, será para as famílias vulneráveis cadastradas no Banco de Ração. As famílias que receberão o alimento serão chamadas pelos profissionais da Sema, que entrarão em contato por meio dos dados cadastrados no sistema.

Foto: Vivian Honorato

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.