Por professor Renato Munhoz

O quarto objetivo do Desenvolvimento Sustentável trata de Educação de Qualidade, tema tão relevante para a sociedade em que vivemos. O eixo central deste objetivo, nas metas e ações, é primeiro o acesso a educação em todos os níveis. Desde os anos iniciais, passando pela educação fundamental, média, técnica e o acesso a educação universitária.  É condição que todos os esforços sejam realizados para que este direito seja garantido.

O Brasil, segundo dados do IBGE (2019), convive com 11 milhões de pessoas que ainda não são alfabetizadas. Cerca de 48% das pessoas no Brasil concluíram a Educação Básica completa e menos 18% o ensino superior.

Com certeza há muito o que se fazer no que diz respeito a educação, ao acesso e a qualidade. Segundo Rubem Alves: “as palavras ajudam a melhorar os olhos”. Passamos a enxergar o mundo com mais profundidade. Por isso, nenhum processo e transformação social deverá desconsiderar a educação como caminho.

É missão e tarefa de todos os agentes públicos, e toda sociedade,  atuar para que a Educação seja cada vez mais acessível a todos. Para isso os ODS sempre nos lançam na ideia dos esforços feitos em Rede. Em atuação conjunta. Fazendo com os alcances dos objetivos sejam efetivamente alcançados.

Outra dimensão é a qualidade. E qualidade aqui relacionada a ideia de produção de conhecimento e alcance a todas as realidades, conforme o próprio indicador da ONU aponta: “Até 2030, eliminar as disparidades de gênero na educação e garantir a igualdade de acesso a todos os níveis de educação e formação profissional para os mais vulneráveis, incluindo as pessoas com deficiência, povos indígenas e as crianças em situação de vulnerabilidade”.

O acesso aos meios tecnológicos, à uma educação que dialogue com a realidade dos jovens e que seja capaz de transformar as condições sociais, a partir da produção de conhecimentos.

O ODS 4 aponta para uma “Educação da Sustentabilidade”, onde os processos educativos não deixem de lado as dimensões socioambientais. E as pessoas sejam cada vez mais atingidas por um processo de formação de consciência, que seja capaz de nos transformar em agentes e cuidadores do Meio Ambiente. Mas, acima de tudo replicadores, de boas práticas.

Os indicadores do ODS 4 chamam de Cidadania Global esta nova ética e este novo fazer. Aparece aqui o que já tratei tantas vezes neste espaço que é a dimensão de que todos vivemos na mesma casa e precisamos cuidar dela. Fazer dela o melhor lugar de se viver. Unir esforços, provocar as estruturas para que elas se mexam e façam do mundo cada vez mais uma grande teia de saberes e práticas que transformem, de uma vez por todas, a vida e o “bio sistema” num lugar plural de todos e todas

Professor Renato Munhoz

Teólogo e Historiador. Especialista em Educação Ambiental e Sustentabilidade.

Foto: Pixabay

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.