Skip to content

Morre Juliana Carvalho Lopes, filha da ex-ministra Márcia Lopes

Empresária lutava contra um câncer há anos, mas nunca se deixou abater

Telma Elorza

O LONDRINENSE

Morreu na madrugada deste sábado (4), a empresária Juliana Carvalho Lopes, 45 anos, filha da ex-ministra e assistente social Márcia Lopes. Juliana lutava contra um câncer, mas não resistiu. O velório será a partir das 10 horas, na capela 4 do Cemitério Parque das Allamandas, com cremação marcada para as 18 horas. Ju, como era conhecida por todos, deixa esposo e dois filhos.

A empresária estava em cuidados paliativos há algum tempo. E, há dois dias, deixou uma mensagem nas suas redes sociais para todos os amigos. Leia na íntegra:

“Nesse momento difícil, intenso, em que a vida se esvai, ainda assim é preciso desmistificar a doença, a morte. Sou prova viva de que é possível ser feliz com câncer. Eu fui. 🙏❤️ Reescrevo algumas coisas aqui, para continuar mostrando que, se por um lado houve razão para a tristeza e a apreensão, pela doença, o tratamento, a ansiedade para que tudo passasse logo e que eu tivesse chance de uma vida longa… Por outro, sempre tive a opção da alegria, um antídoto que foi poderoso contra qualquer tentação de pessimismo. Que foi a minha escolha. E continuaria sendo. Mas temos nosso tempo nesse mundo. Pode soar estranho, mas nessa montanha russa, que foram esses últimos quase quatro anos, cheguei a sentir um alívio. Porque me livrei de mesquinharias e obrigações. Convenientemente, reduzi meus deveres a somente um: VIVER. O resto foi consequência. E contingência. Eu vivi. Eu fui feliz. Eu convivi com as pessoas da minha vida, da forma mais plena e leve que pude. Com dignidade e amor. Tudo, graças à vocês. Minha família amada que, quando preciso, virou equipe médica, cuidando sempre de mim; que continuou embalando nas minhas festas e eventos (que iam de 15 a 130 pessoas); que abraçaram meus amigos, como sempre e como deles; enfim, que foram incansáveis em me ver feliz, em me encher de fé, de coragem, de amor. À todos os amigos e amigas, que aceitaram que eu não mudaria nada na minha essência, nas minhas escolhas, na minha forma de encarar a vida e o mundo, e continuamos a viver, a conviver, como eu sempre fui. Dei um pouco de trabalho, mas eles também me deram. Placar zerado. E, finalmente, à equipe médica, que me cuidou, com competência e humanidade. A do Centro de Oncologia e Radioterapia de Londrina (Dr. Jorge Malli; Dra. Marcela Uchoa; Dr. Renan Casagrande); à equipe de Ribeirão Preto ( Dr. Leandro Colli e Dr. Lucas Moretti) e a equipe do Programa de Cuidados Paliativos da UNIMED (Dra. Heloísa Marconato com aquela equipe sensacional), anjos da guarda. Que com toda atenção e comprometimento com a vida dos pacientes, salvam nossos dias, nossos corpos, nossas vidas. A morte é o grande clichê da vida. Simplesmente, porque ela é implacável e a mais democrática das situações humanas. TODO MUNDO vai. Assim mesmo, não sabemos lidar com ela, porque ela nos arranca, sem aviso prévio, as pessoas que amamos e pode nos arrancar delas, da mesma forma. Mas sabe o que é felicidade???É estar passando pelo momento mais sinistro da vida e receber o melhor das pessoas. E descobrir o melhor de si mesma. Vivam meus amores. ❤️*Faltou muita gente, muitas fotos. Não caberiam aqui. Mas levo um pouquinho de cada um de vocês, aqui dentro. Deixo amor e festa. ❤️

Compartilhar:

3 Comentários

  1. Me emocionei tanto com a passagem dela! Acompanhei pelas notícias passadas pela companheira Márcia, sempre com muito amor, sempre com muita paz. A forma como passaram por tudo, em família, foi inspirador. Julia conseguiu mostrar que esse momento é mesmo parte da vida e deixar muitas lições. Muita força para toda a família e amigos!

  2. Lendo as palavras da Juliana e ao mesmo tempo lembrando o auge da pandemia…
    Isto nos faz refletir tanto…
    A pandemia me mostrou tanta coisa, tantas reações, de como as pessoas lidaram com a situação.
    A mim ela me educou. Comecei um processo de desapego as coisas materiais. Minimalista mesmo.
    Aí leio o que a Juliana escreveu. Tão intenso. E percebo que o caminho é este. O que importa são as pessoas. Sigo retirando os excessos…
    Luz Ju pra vc. Siga em paz.

  3. Querida Ju é famílias! As verdades ditas nesta de forma simples e direta é o CONVITE AO DESAPEGO a sermos mais complacentes e apenas contemplarmos a VIDA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.