O que podemos aprender com Jesus e seu legado de gestão e liderança

Por Maurício Chiesa Carvalho

Para além de crença e religião, falamos sobre o Jesus histórico que, ao longo da vida, adquiriu milhares de seguidores. Olhando com atenção, nota-se lições de perseverança, foco, determinação, companheirismo e outros valores ao longo da sua trajetória

Todo líder sabe que precisa gerenciar situações, conflitos, relacionamentos, todavia nem todo gerente está devidamente esclarecido que o investimento a médio e longo prazo que precisa ser feito em liderar tem retorno garantido. E, assim, muitos não colhem os frutos da liderança, apenas vivem dos frutos básicos gerados pelo gerenciamento do presente momento

Embora fosse o mestre do seu grupo, Jesus estava sempre aberto a opiniões e muitas vezes as pedia. … A liderança de Jesus está sendo redescoberta. Há muito tempo, o líder havia deixado de ser líder para se tornar o chefe mandão e arrogante, posicionando-se acima e a parte da equipe.

É vital experienciarmos que aprender com Jesus Cristo é defender a sua equipe ou casa e ajudá-la a encontrar a transfiguração e a aliança do amor e remissão e de auto socorro mútuo.

Vou procurar compilar de maneira simples, características da liderança de Jesus Cristo por meio de sínteses de artigos e livros já publicados sobre o assunto, devidamente referenciados.

Segundo Jo 13,16-20, depois de lavar os pés dos discípulos, Jesus lhes disse: “Em verdade, em verdade vos digo: o servo não está acima do seu senhor e o mensageiro não é maior que aquele que o enviou. Se sabeis isto, e o puserdes em prática, sereis felizes. Eu não falo de vós todos. Eu conheço aqueles que escolhi, mas é preciso que se realize o que está na Escritura: ‘Aquele que come o meu pão levantou contra mim o calcanhar’”.

Quem entende a lição do Cristo servo, encontra o caminho da liderança que se apoia no serviço. E torna-se um líder servidor. Ao lembrar que Jesus lavou os pés dos seus discípulos, precisamos lavar os pés, a vida, a alma de alguém. (Pe. Joãozinho).

Assim, Jesus viu naqueles 12 homens simples o potencial de liderança para o Reino. De fato, eram pessoas “comuns e sem instrução”, de acordo com o padrão do mundo (At 4:13), mas tinham capacidade de aprender. Embora costumassem errar em seus julgamentos e fossem lentos para compreender as questões espirituais, eram homens honestos, prontos para admitir suas fraquezas. Seu comportamento poderia ser grosseiro e suas habilidades, limitadas, mas à exceção do traidor, todos tinham um grande coração.

Mesmo sendo traído e negado, Jesus jamais deixou de amar as pessoas e em especial a sua “EQUIPE” de discípulos. Ele os amou até o fim.

É difícil compreender como Jesus poderia usar gente assim. Eram pessoas impulsivas, temperamentais, que se melindravam com facilidade e vítimas de todo tipo de preconceito no contexto em que viviam. Para resumir, aqueles homens selecionados pelo Senhor para ser seus assistentes representavam o perfil médio da sociedade daqueles dias. Não era o tipo de gente de quem se pudesse esperar ganhar o mundo para Cristo.

Falemos de números então. Afinal, os números na gestão conversam com a gente. A gestão de liderança de Jesus possuiria os seguintes indicadores: influenciou e influencia milhões de pessoas a mais de 2000 anos, sem estar “presente fisicamente”; deixou um legado admirado, formando líderes com a mesma visão; e, ainda, uma conduta a favor do bom relacionamento, paz, colaboração e amor, “dando a própria vida” pela causa que acreditava.

E formar líderes com a mesma visão é compartilhar e despertar propósito. A essência da liderança de Cristo consistia na amizade, no companheirismo e no respeito mútuo. Jesus viveu isso e nos deixou esse legado.

E, dentro desse contexto, existem sete características que nos leva a refletir sobre a personalidade de Jesus e como Ele tinha êxito em liderar. Jesus passou por problemas como qualquer outro líder, e o maior problema foi o da confirmação. Aproveitando o assunto, vou relembrar uma frase da Rainha da Inglaterra, Margareth Thatcher: ”Ser Líder é como ser uma Dama na Sociedade. Se você tiver que lembrar às pessoas que você é, é porque você não é”.

Quando alguém apregoa que é líder, tem que provar. Não com palavras e discursos e sim com gestos e atitudes com a demonstração da força do caráter. E não foi diferente com Jesus. Através de pregações, milagres e solidariedade, Jesus provou ser o messias, ser o líder que o povo esperava.

É assim também com os líderes empresariais, os líderes familiares, os líderes religiosos, enfim todo líder precisa ganhar a confiança dos liderados e isso só acontece tal qual aconteceu com Jesus, com confirmações. Em seguida, serão apresentadas as “7 atitudes daqueles que lideram baseados no estilo de Jesus”.

1. Ser cheio e guiado pelo Espírito Santo. Jesus era dependente de Deus e pedia sua direção em tudo o que fosse fazer.

2. Nunca perca a oportunidade de manifestar o poder de Deus em você. Onde tinha enfermos, endemoniados, cegos, Ele curava. Onde tinha falta ou pouco alimento Ele multiplicava. Onde havia necessidade Jesus atendia e onde tinha dor curava.

3. Aprenda a valorizar as pessoas. Jesus valorizou o rico, o pobre, os homens, as mulheres, as crianças, valorizou a todos, não importasse a posição em que estavam. Ele dava atenção a todos.

4. Ter disposição de servir. Amar é servir. Jesus assumiu a forma de servo na terra (Filipenses 2.7). Não tem como servir a Deus sem lavar os pés dos homens. Jesus mesmo sabendo da traição de Judas, nada tirou suas convicções, porque sabia que seu papel era servir e cumprir com seu propósito (João 13.1-17)

5. Jesus não se gloriava em Si, tudo apontava para o Pai (João 8.28; 12.49,50). Não tentava provar que era o melhor líder, porque não queria glória nenhuma. Jesus fazia tudo por causa do Pai.

6. Jesus discipulou com qualidade e profundidade. O próprio Jesus entendeu que precisava multiplicar e formar discípulos, que precisava de uma equipe. Ele não fez discípulos de qualquer jeito, Ele formou discípulos que carregaram o seu legado e tornaram-se colunas. Isso só aconteceu porque Jesus investiu com a sua própria vida.

7. Jesus se dispôs fazer a vontade de Deus. Quando Ele estava no Getsêmani, teve grande agonia, mas foi forte até o fim e cumpriu o propósito maior, que tinha o objetivo de salvar a humanidade.

A comando de Jesus está recíproca, inclusive até nos dia de hoje, para alguns líderes e para outros não. Há grande líder que não tem esse perfume para gerenciar, muitos líderes se converteram chefe severos arrogante e presunçosos procurando está em supra da equipe.

Jesus Cristo cessou um modelo disso; está mensagem eu sou o bom pastor e o bom pastor dá sua vida pelas ovelhas e não venha tomá-las. Essa hora de servir ou zelar não corresponde com a comando de muitos chefes e de muitas organizações pois o melhor exemplo de incidente que temos na vida como líder é Jesus Cristo. Eis o líder servidor.

Essas são algumas características que possam ajudar as pessoas que ocupam cargos de liderança a serem melhores líderes e aqueles que se interessam por tal assunto. Pode ser que muitos que não seguem esta linha e, ainda sim, conseguem bons resultados. Mesmo assim, tais características possam ser de boa utilidade.

Dica de leitura:

Foto: João Vanzo

Maurício Chiesa Carvalho

Administrador, Executivo de RH, psicanalista, consultor, docente e escritor. Conselheiro da Academia Europeia de Alta Gestão e um dos RHs mais Admirados do Brasil de 2021. Linkedin mauríciochiesacarvalho

Foto: Pixabay

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.