Não consigo me relacionar com homens da minha idade. Só os novinhos me acompanham no sexo. Tô errada?

Por Telma Elorza

“Sou uma mulher de 55 anos, divorciada duas vezes, bonita e bem sucedida. Mas não consigo me relacionar com homens da minha idade. Principalmente na cama. Só os novinhos conseguem me acompanhar no tesão. Não me considero ninfomaníaca, nem tenho problemas de controlar minha vontade de fazer sexo. Mas, quando faço, quero passar horas gozando. Meus relacionamentos são todos à base do Tinder, em encontros casuais, porque sofro preconceito cada vez que tento manter uma relação mais séria com um rapaz mais jovem. A maioria dos meus amigos acredita que eu sustento os novinhos e só assim para eles gostarem de mim. Não sustento, mas isso mexe com minha autoestima. Estou errada em buscar relações com rapazes mais jovens? Devo me conformar com uma relação morna, sem o sexo glorioso que estou acostumada?”

A leitora me mandou um longo e-mail, contando sua vida e me pedindo orientações. E eu tenho algumas coisas para falar. A primeira delas é: Bem-vinda ao clube, colega. Você não é a única mulher no mundo que prefere se relacionar com homens mais jovens. Somos muitas, kkkk. E a segunda é: não, você não está errada em buscar relacionamentos que a façam feliz. Ponto. Mas você precisa aprender a superar seu próprio preconceito, porque é isso que a impede de ter relacionamentos mais que casuais com rapazes e não a opinião dos amigos.

Veja bem: você está no auge da sua vida sexual. Os filhos criados, a carreira consolidada, nenhum compromisso maior que com você mesma. Provavelmente já passou pela menopausa e isso é uma preocupação à menos: sem risco de uma gravidez tardia. Se fez reposição hormonal, na menopausa, está com a libido em dia. E tem coisa mais gostosa que passar horas fazendo sexo, sem se preocupar com egos masculinos que não conseguem acompanhar uma mulher fogosa? Só com os jovens, que tem o vigor necessário para acompanhar. Para eles, na flor da idade e saudáveis, qualquer hora é hora. Então, por que não aproveitar?

Quero deixar claro que não sou contra os homens de meia idade. Acredito até que há aqueles que sim, estão com a saúde e disposição em dia. Mas, pela minha experiência de vida, a maioria não se cuida, fuma demais ou bebe demais, não vão ao médico, não mantém uma alimentação saudável. Isso acarreta problemas que sim, atrapalham o desempenho sexual.

Quanto ao preconceito dos amigos, isso sempre vai ter. O que não pode é você também manter esse tipo de atitude. Ninguém questionam homens mais velhos se relacionando com mulheres 20, 30 anos mais jovens. Pelo contrário, é até normal para os “amigos” que um homem tenha uma namorada-troféu. Isso lhe dá a aura de virilidade e vencedor na vida.

A mulher, no entanto, ainda enfrenta o estigma de “estar bancando” o jovem. A tal da sugar mommy. E vista como uma “coitada que está sendo explorada por um aproveitador”. No entanto, só quem mantém relacionamentos com jovens sabe que não é bem assim. Primeiro, porque somos muito espertas para cair nesse golpe. Não vou negar que algumas bancam mesmo, mas porque querem, não porque estão sendo enganadas.

O que a maioria não entende é o fascínio que mulheres experientes exercem sobre os rapazes mais novos. Eu já escrevi uma coluna sobre isso (leia aqui). Somos mulheres inteligentes, capazes de manter conversas interessantes, com uma vivência grande, já experimentamos tudo (ou quase tudo) e superamos muitos tabus na vida. Também não estamos mais dispostas a desperdiçar tempo de vida. Queremos viver intensamente. E isso é muito atrativo para jovens, que querem essa experiência de vida. Ou seja, estamos bem na fita.

Portanto, eu digo pra leitora: esqueça os comentários de amigos. Você nunca vai agradar todos. E nenhum deles a sustenta. Então, supere seu auto preconceito e seja feliz com seu namorado 30 anos mais jovem.

Tem dúvidas sobre sexo? Escreva para o email telma@olondrinense.com.br

Quem é Telma Elorza, a Tia Telma?

Jornalista, divorciada, xereta por natureza e que sempre se interessou muito por sexo. Com a vida, aprendeu várias coisas, mas a principal é que sexo é uma coisa natural e deve ser sempre prazeroso.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.