Skip to content

Arte londrinense em exibição nacional e a falta de divulgação da produção com dinheiro público

Por Suzi Bonfim

Está no ar na TV Brasil, da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), a série  DRAMATURGIAS produzida por e com profissionais londrinenses. Esta semana ( 6 e 17/04), foi exibido  Veredas da Salvação, o sexto de um total de 13 episódios de 26 minutos sobre peças clássicas da dramaturgia brasileira entre os anos de 1930 e 1980. É a arte audiovisual com financiamento do dinheiro público.

A genialidade de grandes autores como Nelson Rodrigues, Plínio Marcos, Gianfrancesco Guarnieri, Dias Gomes, Maria Clara Machado, Oswald de Andrade, Jorge Andrade, Oduvaldo Viana Filho e Maria Adelaide Amaral, entre outros, apresentada na linguagem cinematográfica é ainda mais impressionante. 

A releitura audiovisual do que já foi sucesso nos palcos do teatro do país, ganha um novo olhar com o desempenho de atores londrinenses e alguns de renome nacional como Esther Goés e Erom Cordeiro, contextualizada nas entrevistas com diretores, atores, dramaturgos, críticos e historiadores de teatro. Apenas parte das peças foi gravada, mas, ao final, se tem a exata dimensão da obra. Uma verdadeira aula que traduz um período de efervescência cultural no Brasil, que creio eu, não se vê mais. 

O diretor de cinema Rodrigo Grøta, reuniu um elenco e profissionais da terra de várias áreas na produção da Filmes com Saquê, baseada no roteiro e pesquisas de Roberta Takamatsu.  Em Londrina, os 13 episódios foram exibidos no Cine Vila Rica divididos em três finais de semana no mês de março. Na TV Brasil, a série termina em junho (confira a data dos próximos episódios abaixo).

Foi um prazer assistir cinco episódios de uma só vez ao lado de alguns atores e equipe de produção da série Dramaturgias na tela do cinema. Um dos componentes da equipe é o diretor de arte, Gelson Amaral, com talento e sensibilidade à flor da pele, o responsável pelo cenário de cinco episódios.

Arquiteto e cenógrafo com formação pelo Centro de Pesquisa Teatral, em 1996, Gelson tem uma vasta experiência na realização de projetos de cenografia junto a Companhia Armazém de Teatro, em Londrina e Rio de Janeiro, com o IDETE (Instituto das Tradições Indígenas), em São Paulo e como colaborador em vários projetos do Centro Cultural Teatro Guaíra onde conquistou respeito e prêmios.

Fiquei emocionada ao ver o resultado do trabalho de todos e, especialmente, o que foi realizado pelo meu amigo há mais de 40 anos, nesta parceria com o Rodrigo Grota.

Porém, saí da exibição no Cine Vila Rica com a sensação de que pouca gente conhece e tem acesso a imensa produção cultural feita aqui por inúmeros profissionais com capacidade e um desempenho tão bons ou melhores que muitos por aí. 

Como ampliar a divulgação da arte financiada com dinheiro público 

A série “Dramaturgias ” tem o patrocínio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) do governo brasileiro que fomenta a produção do setor no país para o circuito de tevês públicas. Ou seja, os 13 episódios serão exibidos não só na TV Brasil, mas em outras emissoras  ligadas às universidades públicas, por exemplo. 

LEIA TAMBÉM

Questiono como ampliar a divulgação e o acesso ao que está sendo produzido com dinheiro público para o maior número de pessoas possível.  Penso que os mais jovens podem conhecer o melhor dos clássicos da dramaturgia brasileira e os mais velhos rever sucessos inesquecíveis.

A série de Rodrigo Grota é apenas um exemplo. Há muitas outras produções financiadas com dinheiro público que não chegam onde deveriam: escolas, associações de bairro e entidades públicas com espaços culturais. 

Se de um lado, o Poder Público fomenta a arte, de outro também trava com a burocracia dos editais que não preveem a distribuição do filme, da peça, da exposição. A demanda existe. A gente está carente de mais arte por todos os cantos da cidade como num passado não muito distante.  

Apelo aos produtores culturais para que se crie mecanismos junto aos governos municipal, estadual e federal e ao financiar a arte também contemplem o acesso da população ao que alimenta a alma.

Confira a data exibição dos próximos episódios da série Dramaturgias

23/04 – Opinião

30.04- Liberdade, Liberdade

07.05- Dois Perdidos numa noite Suja

14.05- Arena conta Tiradentes

21.05-De Braços Abertos

28.05 – Auto da Compadecida

04.06- Orfeu – Processos Criativos

Suzi Bonfim

No Brasil, a política como um exercício de cidadania se perde cada dia mais, em função das divergências partidárias do cenário nacional.

Jornalista, formada na UEL, por quase 30 anos morou em Cuiabá -MT. De volta a Londrina-PR, vive a fase R de reencontros e renovação, respirando novos ares. Escreve sobre o que acredita por um mundo melhor. Instagram @suzi.bonfim

Leia mais colunas Na minha opinião…

(*) O conteúdo das colunas não reflete, necessariamente, a opinião do O LONDRINENSE

 

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.