Skip to content

Entre cigarras e formigas, a importância da previdência

Por Vander Cardoso

A fábula da cigarra e da formiga mostra a importância da precaução. É importante viver a vida, mas é importante, também, pensarmos no futuro. Nesse sentido, o mercado disponibiliza a previdência. Essa de que falo não é aquela do INSS, ainda que as duas tenham o mesmo propósito. A previdência pública, do INSS, tem participação obrigatória. Se trabalhamos devidamente registrados ou temos uma empresa, ainda que pequena, estamos compulsoriamente participando do sistema previdenciário. É bom que seja assim, afinal, infelizmente, as pessoas não têm o hábito da poupança.

Quanto à previdência privada, chamada complementar, é oferecida pelos bancos e seguradoras e está à disposição de todos que, voluntariamente, desejam comprar. É um produto que, basicamente, corresponde a depósitos periódicos durante um período de tempo para que, ao final, o beneficiário resgate o valor da forma que desejar; saque único ou recebimentos também periódicos, que poderão ser vitalícios.

Reputo importante a previdência pela possibilidade de mantermos nossa independência, principalmente quando, mais velhos, temos menor disposição física para o trabalho. Uma renda garantida ou uma reserva de valor nos dá essa condição, assim como a formiga. A independência financeira nos permite, também, um certo isolamento, que tenho considerado importante para a saúde mental, dadas as asneiras que vivemos todos os dias.

Dias atrás, a mídia dispensou tempo enorme para criticar a edição de uma foto postada pela princesa Kate Middleton na Inglaterra. Se, todos os dias, tanta gente posta fotos corrigidas nas redes sociais, por que não a princesa? Em minha opinião, a bobagem está já na sua nobreza. Nos tempos de hoje, qual o sentido de mantermos reis, rainhas, príncipes e princesas? Por que essas pessoas são especiais e têm garantidos direitos e, pelo que se vê no caso, obrigações diferentes dos demais, só por terem nascido ou se juntado a determinada família?

Outra insanidade que justifica algum isolamento proposto atrás é a reverência e importância que se dá a determinados youtubers. Entre os atrativos que oferecem e que arrastam multidões estão impressionantes imitações de animais e lançamento de veículos em rios e lagoas. Não à toa temos elegido palhaços e outros idiotas, que nos representam e determinam de certa forma parte dos nossos destinos. 

Percebemos, portanto, que a fábula da cigarra e da formiga acontece todos os dias. Infelizmente, parece que as cigarras se multiplicam em ritmo maior que as formigas. Muita gente vive gritando e fazendo algazarra, enquanto, em menor número, outros trabalham pensando no futuro. Tragicamente, essas formigas é que acabarão sustentando esse monte de cigarras.

Sendo assim, não seja uma cigarra. Haja como uma formiga. Lute no sentido mais amplo da palavra pela sua independência. Poupar é um caminho. A previdência complementar é um bom exemplo de poupança. Converse com um corretor de seguros.

Vander Cardoso

Fazer uma previdência complementar pode ser a garantia que a aposentadoria seja um período de liberdade e saúde mental

Formado em Administração pela UEL e em Economia e Contabilidade pela Unopar. Pós graduado em Marketing, tem MBA em Estratégia Empresarial pela USP. Atua no ramo de seguros desde 1990, tendo sido gerente comercial em várias seguradoras, nacionais e  multinacionais. Atualmente é professor universitário e sócio-administrador da Max Line Corretora de Seguros. Fone (43) 3027-2707, cel (43) 999573708. Site: www.maxlineseguros.com.br. Instagram @maxlineseguros

Foto: Freepik

Leia mais colunas Mundo Seguro

(*) O conteúdo das colunas não reflete, necessariamente, a opinião do O LONDRINENSE.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.