Skip to content

Basilicata: Pequena em tamanho, mas grande em qualidade

Por Edmilson Palermo Soares

A Basilicata é a terceira menor região italiana, possuindo duas pequenas saídas para o mar (Golfo Policastro para o Mar Tirreno e Golfo de Taranto para o Mar Jônico.

Esta pequena região é um belíssimo destino para os apreciadores de vinho: interior montanhoso formado por florestas e parques naturais indo em direção à baías cristalinas iluminadas pelo sol do Mediterrâneo.

Vinicultura da Basilicata

A viticultura na região da Basilicata é uma tradição antiga (1300 a.c.), trazida pelas colônias gregas.

As uvas tintas representam quase 90% dos 5.100 hectares de vinhas desta pequena região. Aglianico del Vulture é a principal casta da Basilicata, com mais de 40% da área das vinhas regionais. As vinhas internacionais Merlot e Cabernet Sauvignon, Sangiovese e Montepulciano também são cultivadas. As variedades de uvas brancas, embora menos comuns, incluem Malvasia Bianca, Verdeca, Bombino Bianco e Chardonnay.

As denominações desta região são as seguintes:

  • DOCG: Aglianico del Vulture Superiore;
  • DOC: Aglianico del Vulture, Grottino di Roccanova, Matera e Terre dell’Alta Val d’Agri;
  • IGT: Basilicata IGT
Basilicata é uma das pequenas regiões da Itália que poduz grandes vinhos. Conheça um pouco sobre ela
Matera – Foto: VisualHunt

Aglianico del Vulture Superiore DOCG

  • Reservada aos vinhos produzidos com as uvas 100% Aglianico e Aglianico del Vulture.
  •  A área de produção situa-se na parte norte da região, na província de Potenza, e compreende um território de alta e média colinas, localizado nas encostas do Monte Vulture, um vulcão extinto, mas ativo até o alto Pleistoceno, onde tem seu pico mais alto a 1.327 metros acima do nível do mar e que gradualmente se inclina para o oeste ao longo do rio Ofanto, e para o leste em direção à planície de Puglia, dando origem a picos diversos em todo o território. Os vinhos abrangem os tipos Aglianico del Vulture Superiore e Aglianico del Vulture Superiore Riserva.
  • Os vinhos Aglianico del Vulture Superiore DOCG devem passar por um período de maturação mínimo de três anos, dos quais pelo menos 12 meses em barricas de madeira e 12 meses em garrafa.
  • O Riserva deve passar por um período mínimo de maturação de quatro anos, após envelhecimento de no mínimo 24 meses em barris de madeira e no mínimo 12 meses em garrafa.
  • Tem boa acidez, a cor é o tinto rubi intenso que se migra para o tinto granada com reflexos alaranjados (vinhos mais envelhecidos). Destacam-se aromas frutados, mas também aromas florais típicos das castas das vinhas de base, que nos vinhos mais envelhecidos apresentam condimentados ou associados à madeira. Na boca os vinhos apresentam acidez normal, um toque de amargor e uma possível adstringência residual típica das vinhas, mas, sobretudo, uma excelente estrutura que contribui para o seu equilíbrio.

Terre dell’Alta Val D’Agri DOC

  • São produzidos com as castas Merlot e a Cabernet Sauvignon, tradicionalmente cultivado na área de produção.
  • Apresentam boa acidez e destacam-se aromas principalmente frutados (bagas e drupas), típicos da uva. Ao paladar, os vinhos apresentam acidez normal e uma possível adstringência residual típica da casta, mas, sobretudo, uma excelente estrutura que contribui para o seu equilíbrio gustativo e para realçar uma grande longevidade do produto.

Matera DOC

  • Criada em 2005, inclui a produção de seis tipos de vinhos.
  • Os vinhos tintos incluem um tinto produzido principalmente com as variedades de uvas Sangiovese, Aglianico e Primitivo, com uma pequena percentagem de outras uvas nativas e não aromáticas autorizadas na região da Basilicata.
  • O “Il Moro di Matera” é composto por um blend mais internacional: um blend estilo Bordeaux de Cabernet Sauvignon (60%) e Merlot (10%), com a parte restante consistindo de Primitivo (20%) e outras uvas locais. Já o Primitivo puro deve conter pelo menos 90% desta variedade.
  • Os principais vinhos brancos são uma casta composta por 85% de Greco Bianco com uma pequena percentagem de outras uvas brancas nativas; um vinho branco básico composto por Malvasia Bianca di Basilicata, Greco Bianco e pequenas quantidades de outras uvas brancas nativas;
  • Um espumante com a mesma composição do branco que passa por um processo extra de fermentação natural (refermentação).

Essa é uma experiencia incrível. O que está esperando?

Edmilson Palermo Soares

A ilha italiana da Sardenha tem uma história milenar, com um grande acervo arqueológico, belas praias e vinhos de qualidade superior

Enófilo, sócio proprietário da Confraria da Taverna, loja de vinhos e espumantes que traz novas experiências no mundo do vinho, estudioso e entusiasta, com conhecimento prático provando vinhos de mais de 20 países e diversas uvas desconhecidas do público em geral.

Me siga nas redes sociais: no Instagram @contaverna, Facebook Confraria da Taverna e Linkedin. Whatsapp (43)3324-1842.

Foto: Freepik

Leia todas as colunas do Mundo do Vinho

(*) O conteúdo das colunas não reflete, necessariamente, a opinião do O LONDRINENSE.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.