MP denuncia ortopedista por morte de garoto de 12 anos com covid

Médico não teria examinado o paciente e receitado remédios inadequados em doses acima das máximas recomendadas, sem indicação de internação hospital

O LONDRINENSE com assessoria

A promotora Susana de Lacerda, da 24ª Promotoria de Justiça de Londrina, ofereceu denúncia criminal contra um médico ortopedista que teria sido negligente, imprudente e imperito no atendimento prestado a um adolescente com Covid-19. O principal crime apontado é “homicídio culposo”, majorado por inobservância de regra técnica de profissão. A vítima, de 12 anos, tinha diversas comorbidades e faleceu.

No ano passado, o Conselho Regional de Medicina (CRM) suspendeu, por seis meses, as atividades profissionais desse mesmo médico, que estaria sendo investigado por supostas irregularidades em atendimentos relacionados à Covid-19.

Medicamentos inadequados

Conforme a denúncia da promotora, o médico atendia o paciente por meio de consultas realizadas pelo aplicativo de rede social WhatsApp, comunicando-se apenas com sua mãe, sem examiná-lo. O denunciado teria passado uma prescrição médica com diversas irregularidades, como doses de medicamentos muito acima das máximas recomendadas e remédios inadequados para o quadro do paciente, bem como medicamento experimental (inalação de hidroxicloroquina).

O Ministério Público destaca, ainda, que, apesar de diversos sinais acerca da gravidade do caso, o médico não determinou a internação hospitalar do menino.

Crimes e danos morais

Além do homicídio culposo, a promotora sustenta a prática dos crimes de exercício ilegal da medicina, omissão de notificação compulsória de doença infectocontagiosa e emissão de atestado falso. Na denúncia, pede também que seja fixado valor para reparação de danos morais e materiais à família da vítima. O processo corre na 2a. Vara Criminal, com o número 0014403-42.2022.8.16.0014.

Foto: Arquivo/AEN

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.