Skip to content

Viagem pela música entra na sua quinta temporada na UEL FM

No ar desde 2019, programa Mundo Sonoro ganha uma identidade visual e continua, em 2023,  a promover a música e artistas dos quatro cantos do planeta

O Londrinense com assessoria

Na sua quinta temporada, o programa Mundo Sonoro, produzido e apresentado pela jornalista Janaína Ávila, ganhou uma identidade visual especialmente criada pela Visualitá Gestão de Design Estratégico que também passa a ser apoiadora cultural da transmissão em 2023. No ar desde 2019, o programa traz a cada semana uma viagem pela música dos quatro cantos do planeta, com artistas que se inspiram nos sons da tradição dos seus lugares de origem para criar um novo som, contaminado pela contemporaneidade.

A identidade visual pensada para o Mundo Sonoro reflete bem o espírito do programa, sem cair no óbvio. Entre todos os sentidos, Bete Yunomae, da Visualitá escolheu o tato, representado pelo trio de mão estendidas presentes na logo do programa. “As mãos juntas são construção, criação e compartilhamento. Elas criam o tempo na música, o ritmo, são poderosos instrumentos de expressão nos extremos, indo da força à fragilidade. Quase podemos escutar as mãos de um maestro, regente de uma orquestra”, explica. A partir dessa ideia, veio toda a criação do “enxoval” de imagens que a partir de agora aparece no site da Universidade FM e nas redes sociais do Mundo Sonoro no Facebook e no Instagram.

As mãos acariciam cenas de viagens, músicos e dançarinos ao redor do planeta, numa grande celebração das belezas que a humanidade é capaz de criar e , por que não, admirar. Mãos que vieram de muito longe no tempo… Bete Yunomae revela que foram os profissionais da quironomia do Egito Antigo – uma prática de gestos feitos pelas mãos e dedos que exprimiam um som, um intervalo e as flexões da linha melódica em uma época que ainda não existiam as gráficas musicais, que trouxeram as mãos para a logo do Mundo Sonoro. 

“O belo existe, na música de qualquer lugar do mundo e  onde nossos olhos decidem enxerga-lo ”, comenta Janaína Ávila que acompanhou todo o processo de criação da identidade visual desde o começo. “Partimos da mitologia grega com as Nove Musas, passamos também pela mitologia do Egito com Toth, o Deus da Sabedoria e criador da música, a mesma que Osíris iria utilizar como recurso civilizatório do povo egípcio, a imagem dos quirônomos fazendo o mesmo gesto enquanto os músicos tocam em uníssono até chegarmos no que é a música hoje para mim e para o programa: algo que une, não conhece fronteiras e representa as alegrias e dores do nosso tempo”, continua a jornalista.

Membro painelista da Transglobal World Music Chart, uma rede internacional de críticos de world music desde 2020, ela ainda promete mais uma temporada de descobertas musicais através de novos artistas que continuamente se apresentam à rede composta por mais de 60 profissionais de mais de 40 países.

Novos discos, artistas e um ano inteiro de celebração da música feita no mundo todo, com espaço garantido também para o Brasil e os nossos artistas que têm se aventurado por esses mares da música sem fronteiras. O Mundo Sonoro vai ao ar na Universidade FM (107,9 MHz)  todas às sextas-feiras, às 16h com reprise às segundas, às 21h e também está na programação da Radio Crónica Folk Internacional, webradio de Mérida, na Espanha.

Foto: assessoria

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.