Skip to content

Boa notícia para as artes: Museu Histórico de Londrina recebe 250 gravuras de artistas brasileiros

Jornalista Edilson Pereira fez doação de 90% de sua coleção

Agência UEL

O Museu Histórico de Londrina, órgão suplementar da Universidade Estadual de Londrina (UEL), recebeu do colecionador e jornalista Edilson Pereira a doação de 90% de sua coleção de gravuras. A doação foi formalizada em fevereiro. Ao todo, são 250 obras, produzidas a partir de várias técnicas, entre elas a linotipia, a litografia e a xilogravura. A coleção contém gravuras de artistas renomados, como Lasar Segall, Maria Bonomi, Rubem Grilo, Emanoel Araújo, Orlando da Silva, Vera Salamanca, Dorel Valença e muitos outros.

Segundo a diretora do Museu Histórico, Edméia Ribeiro, a coleção é um excelente acréscimo para o acervo do Museu, que possui mais de 1,3 milhões de itens. “É uma grande oportunidade que o Museu terá de mostrar a beleza dessas gravuras e a competência desses artistas. Eu considero essa coleção uma riqueza em termos culturais para aqueles que apreciam a arte”, declara.

Aquisições

Para formar e manter a qualidade da coleção, Edilson usou como base o livro “Gravura – Arte Brasileira do Século XX”, de Leon Kossovitch e Mayra Laudanna. As aquisições foram feitas das mais variadas formas: visitou galerias e comprou pessoalmente de artistas, mas também recebeu muitas obras de presente depois de entrar em contato com os próprios autores. Além disso, 50 das obras de linotipias e xilogravuras foram produzidas pelo próprio Edilson, entre 1998 e 2004.

De acordo com o colecionador, o objetivo sempre foi doar as gravuras, buscando proporcionar alguma contribuição para a coletividade. Após dez meses de contatos, foi decidido, com a ajuda do jornalista João Arruda, curador e representante legal da coleção, que as obras ficariam em Londrina, onde Edilson morou por 10 anos.

Exposição com 41 xilogravuras

A coleção está dividida em 14 lotes, identificados por autores individuais ou grupo de gravuristas, a fim de facilitar a catalogação e a organização das exposições periódicas previstas na parceria firmada com o Museu. Com esse planejamento, Edméia afirma que há um preparo para exibir até o mês de abril parte do material recebido.

Levando o título de “Coleção Edilson Pereira”, inicialmente serão expostas 41 xilogravuras do pintor e gravurista Lasar Segall em uma das três galerias temporárias do Museu. As obras, impressas post-mortem (pós-morte), fizeram parte do 96º álbum do artista, editado em 1966 pelo Conselho Nacional de Cultura, do Ministério da Educação e Cultura, sob supervisão de sua esposa, Jenny Klabin Segall.

Foto: UEL

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.