Laurentino Gomes faz palestra on-line a convite da Alumni UEL

A trilogia Escravidão, do jornalista, será pano de fundo da palestra “A Escravidão e a Semente do Racismo no Brasil”

O LONDRINENSE com assessoria

 A Alumni UEL – Associação dos Ex-alunos da Universidade Estadual de Londrina promove no dia 4 de julho (segunda-feira), às 19h, uma palestra on-line com o jornalista Laurentino Gomes que recentemente lançou o terceiro e último volume de Escravidão, trilogia iniciada em 2019. A obra, publicada pela Globo Livros, é sequência dos volumes anteriores e se desdobra sobre o profundo e definitivo impacto da escravidão na formação do país e da sociedade em que vivemos hoje. A trilogia Escravidão servirá de pano de fundo para a palestra “A Escravidão e a Semente do Racismo no Brasil” que Gomes realizará a convite da Alumni UEL.

 O evento é on-line e gratuito, transmitido pelo canal Youtube da Alumni UEL e também pela fanpage da Associação no Facebook, a partir das 19h e antecipa uma série de eventos e debates programados pela Alumni UEL para acontecer ao longo do ano. Essa é uma das frentes de ação da Associação: promover debates acerca do papel da Universidade e sua contribuição para o desenvolvimento científico, social e humano.

Laurentino Gomes é paranaense de Maringá e sete vezes ganhador do Prêmio Jabuti de Literatura. Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná, com pós-graduação em Administração pela Universidade de São Paulo, é titular da cadeira de número dezoito da Academia Paranaense de Letras. Além da trilogia Escravidão é autor dos livros 1808, sobre a fuga da Corte Portuguesa de Dom João para o Rio de Janeiro (eleito Melhor Ensaio de 2008 pela Academia Brasileira de Letras); 1822, sobre a Independência do Brasil; e 1889, sobre a Proclamação da República, além de O caminho do peregrino, em coautoria com Osmar Luduvico da Silva – todos publicados pela Globo Livros.

O livro

 O terceiro volume de Escravidão, Escravidão – Da Independência à Lei Áurea, encerra a trilogia de Laurentino Gomes, iniciada em 2019, A obra, publicada pela Globo Livros, é sequência dos volumes anteriores e se desdobra sobre o profundo e definitivo impacto da escravidão na formação do país e da sociedade em que vivemos hoje.  O livro é dedicado ao século XIX, desde a Independência, passando pelos Primeiro e Segundo Reinados; ao movimento abolicionista, que resultou na Lei Áurea de 13 de maio de 1888; e ao legado da escravidão, que ainda hoje emperra a caminhada dos brasileiros em direção ao futuro.

O Brasil seria o último país da América a acabar com a escravidão, pela chamada Lei Áurea de 1888, quase sete décadas após o Grito do Ipiranga. A “segunda abolição”, preconizada pelos abolicionistas, jamais aconteceu. O país nunca se tornou uma “democracia rural”, mediante a redistribuição de terras do latifúndio improdutivo. Jamais promoveu negros e mestiços à condição de cidadãos plenos, com os mesmos direitos assegurados aos demais brasileiros. Maior território escravista da América em 1822, o Brasil assim se manteria até o final do século XIX, com sua rotina pautada pelo chicote e pela violência contra homens e mulheres escravizados.

Com mais de 500 páginas e 29 capítulos ricamente ilustrados com imagens, mapas e tabelas, o último volume de Escravidão segue o estilo da série, caracterizado por um texto jornalístico fluido, de leitura acessível, e reúne na forma de ensaios e reportagens, as observações e conclusões reunidas pelo autor ao longo de seis anos de viagens, leituras e pesquisas. Nesse período, Laurentino Gomes debruçou-se sobre a vasta bibliografia já existente sobre o assunto e visitou centros de estudos, bibliotecas, museus e lugares históricos. O trabalho levou o autor a doze países em três continentes. Para este volume, entre outros locais, o autor esteve em quilombos nos estados da Paraíba, Alagoas, Minas Gerais e São Paulo; antigos engenhos de cana-de-açúcar da região Nordeste; terreiros de candomblé no Recôncavo Baiano; as cidades históricas do ciclo do ouro e diamante em Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso; as fazendas dos barões do café no Vale do Paraíba; e o Cais do Valongo, no Rio de Janeiro, maior entreposto de comércio de escravos no século XIX.

Serviço:

Palestra com Laurentino Gomes – “A Escravidão e a Semente do Racismo no Brasil”

Dia 4 de julho de 2022

Às 19h, on-line no canal Youtube da Alumni UEL (https://www.youtube.com/c/AlumniUEL)

Foto: Vilma Slomp/Divulgação

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.