Skip to content

Meu cartão foi clonado e agora?

Na coluna passada falamos sobre as dicas em relação ao uso consciente e benefícios do cartão. Mas por ironia do destino, tem um assunto que não foi comentado e agora obrigo-me a relatar. Meu cartão foi clonado… e agora?
Certamente devem estar pensando, como descobri que o cartão foi clonado? Foi graças ao fato de ter cadastrado meu telefone no próprio site do banco que, a cada compra, recebo uma mensagem de confirmação. Fiz isso tanto para débito como para crédito.
Naquela semana, veio uma mensagem de uma compra. A princípio, achei que era do pagamento do combustível, pois tinha acabado de abastecer. Mas o valor não batia. No outro dia, por volta das 11 horas da manhã, veio uma nova mensagem de compra, registrada às 15 hora, em dólar. Aí pensei: “meu cartão já está rodando internacionalmente”. Não teve outro jeito, liguei na central, que me orientou a baixar o aplicativo e por meio dele poderia contestar a compra e, por fim, bloqueá-lo.
Mas aí vem a “saga”: isso mesmo, imagina a perseverança ao falar com a central do cartão. Liguei para o telefone de contato e vem a mensagem “se desejar falar sobre perda do cartão – aperta a tecla 1, se desejar ver o saldo – aperta a tecla 2…” Bom, depois de alguns minutos fui até a tecla 9 para ver como deveria me posicionar e resolver meu problema. Ao ser atendido pelo atendente, não teve outro jeito a não ser bloquear definitivamente o cartão e encerrar o uso. Me informaram que o prazo para um novo envio leva em torno de 15 dias corridos.

Pois bem, fiquei pensando como acabou sendo clonado, e imaginei as minhas diversas formas de uso. Uso comumente em locadora de veículos, algumas compras on-line de produtos e serviços, abastecimento em posto de gasolina. São as formas mais usuais do cartão.

Após as orientações recebida, ficou para mim algumas lições e dicas. Então, siga algumas regras de segurança, como me orientaram a seguir, por mais simples que seja:

a) Baixe o aplicativo do cartão, pois em tempo real saberá suas compras;

b) Cadastre seu telefone no site do cartão, pois a cada compra receberá mensagem;

c) Compre apenas em sites que se sinta seguro; e

d) O mais importante: no verso do cartão tem o número código de segurança, que são de 3 dígitos, uma ótima opção é colar uma etiqueta para que não seja visto por ninguém.


Finalizando, além das dicas acima, qualquer suspeita entre em contato com a central de atendimento do emissor do cartão, alerte sobre a fraude e peça o bloqueio imediato. E boas compras.

Cláudio Chiusoli

Economista formado pela UEL, pós-doutor em Gestão Urbana pela PUCPR, doutor em Administração pela Universidade de São Paulo (FEA/USP), mestre em administração pela Universidade Norte do Parana, aperfeiçoamento em gestão na Drexel University – Pensilvânia, Estados Unidos; e com pós-graduação em maçonologia: história e filosofia, estatística, comportamento organizacional e marketing. Autor dos livros: Sistema de Informação de Marketing (SIM): Ferramenta de Apoio com Aplicações à Gestão Empresarial – Editora Altas (2010); Estudos em Administração com Enfoque em Pesquisas Quantitativas, Editora Apprehendere (2018); Cidades e Informações inteligentes para os cidadãos, Editora Appris (2019). Mande sua sugestão ou dúvidas para prof.claudio.unicentro@gmail.com

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.