Skip to content

73,09% das startups paranaenses são microempresas

Mapeamento realizado pelo Sebrae/PR revela que o Paraná tem mais de 1,7 mil startups

O LONDRINENSE com assessoria

O Sebrae/PR divulgou o Mapeamento das Startups Paranaenses em 2023. O levantamento, que está em sua décima edição, mostra que o Paraná conta com 1.758 startups, 202 a mais (12%) em relação ao estudo divulgado no ano anterior. Das novas startups que surgiram no mercado em 2023, destaque para as chamadas AgTechs, do segmento de agronegócios. O cenário demonstra ainda que o Paraná é um polo de inovação e gerador de tecnologia.

LEIA TAMBÉM

A pesquisa, que considerou desde startups em fase inicial até as que estão com grande faturamento, dentro do limite do Marco Legal das Startups, apontou que do total apurado no Paraná, 73,09% são microempresas.

O estudo mostra ainda que, das 1.758 startups paranaenses mapeadas, 1.155 estão formalizadas, o que representa que a maioria delas possui papel ativo na economia estadual.


O coordenador de TIC e Startups do Sebrae/PR Sebrae/PR, Rafael Tortato, avalia que o mapeamento serve de apoio para a tomada de decisões e planejamento dos diversos atores do ecossistema de inovação e para os empreendedores.


“O estudo mostra o potencial que o Paraná tem na geração de negócios inovadores em nível nacional. Permite ainda enxergar a evolução da maturidade dos negócios, avaliar o cenário e as tendências, bem como oferecer ao empreendedor informações que permitam planejar ações que possam potencializar o seu negócio”, afirma Tortato.

Dentre as regiões com o maior número de startups, estão: Curitiba (430); norte do Paraná (179); e oeste do Estado (178). Das startups paranaenses, o segmento de AgTech, HealthTech & Wellness e Customer Service se destacam por uma maior eficiência e inovação em segmentos tidos como mais tradicionais. Juntos, os setores respondem por 22,8% das startups paranaenses.

Para Tortato, o projeto de pesquisa consiste também em estimular o ecossistema de empreendedorismo e inovação no Estado.


“Em cada edição, o estudo é refinado e expandimos o nosso alcance. Com a pesquisa, além de entendermos o atual cenário das startups no Paraná, podemos identificar características, tendências, desafios e oportunidades”, acrescenta Tortato.

Modelos de negócio

O estudo revelou ainda uma preferência dominante pelo modelo B2B2C (business-to-business-to-consumer) e B2B (business-to-business), refletindo uma tendência de negócios que buscam ampliar seu alcance e impacto, e que oferece para as empresas vantagens significativas em termos de escalabilidade e diversificação de receita. Esses negócios representam 92,59% das startups paranaenses.

Faixa etária das startups

Outro aspecto apontado pelo mapeamento traz informações sobre a faixa etária das startups. Segundo o estudo, 39,48% das startups têm entre três e cinco anos e 28,48% possuem de seis a nove anos. As startups com mais de nove anos representam 4,33% do total. Essa pequena porcentagem sugere que atingir essa longevidade no mercado é uma conquista notável, possivelmente reservada àquelas que alcançam um sucesso excepcional ou que conseguem se adaptar às mudanças de mercado.

“Ao completarmos dez anos de pesquisa, reafirmamos o compromisso em continuar apoiando as startups e seus respectivos ecossistemas, que são essenciais para a economia e para o avanço tecnológico dos municípios e do estado”, finaliza o coordenador Rafael Tortato.


O estudo completo pode ser acessado no Portal do Sebrae/PR

Foto: Freepik

LEIA TAMBÉM – Senado aprova marco legal dos games: o que isso significa para os jogadores?

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.