Skip to content

O papel transformador da tecnologia na Economia Criativa: desafios e oportunidades

Por Edra Moraes

A economia criativa representa um novo paradigma de gestão impulsionado pela criatividade e pelo conhecimento. Setores como literatura, moda, mídias e artes desempenham um papel fundamental nesse modelo, contribuindo para o desenvolvimento econômico em diversas esferas. Dentro desse contexto, a tecnologia emerge como um dos pilares essenciais, apresentando tanto desafios éticos quanto oportunidades de inovação e crescimento.

LEIA TAMBÉM

A combinação entre tecnologia e propriedade intelectual

O avanço da tecnologia, especialmente no campo da Inteligência Artificial (IA), está impactando profundamente as questões de propriedade intelectual, levantando debates éticos e legais. Um exemplo recente foi a controvérsia em torno da utilização da imagem da cantora Elis Regina em uma campanha publicitária da Volkswagen, criada pela AlmapBBDO. Esse caso ressaltou a necessidade de estabelecer limites claros no uso de tecnologias que recriam figuras públicas, especialmente quando envolve direitos de personalidade.

Desafios éticos e legais na Economia Criativa

A utilização de IA também está redefinindo os limites éticos e legais em setores como o cinema e a literatura. No cinema, o uso de tecnologias para recriar ou substituir atores levanta questões sobre direitos de imagem e a autenticidade das obras. A greve dos roteiristas e artistas ressalta a necessidade de uma legislação mais clara e abrangente para regulamentar essas práticas e proteger os direitos dos profissionais envolvidos.

Outro caso que gerou grande impacto no mundo da literatura foi o de Rie Kudan, renomada autora japonesa laureada com um dos mais prestigiados prêmios literários de seu país. Ela reconheceu publicamente que aproximadamente 5% de sua obra foi produzida com o auxílio do ChatGPT, uma ferramenta de Inteligência Artificial (IA). Rie justificou que a tecnologia possibilitou a expressão plena de seu potencial criativo.

Esse episódio evidencia a era de profundas revoluções tecnológicas em que vivemos, que estão redefinindo fundamentalmente conceitos de trabalho e interações entre indivíduos e organizações. Eu, como escritora do século XXI, já testei a ferramenta. Como qualquer outra ferramenta sozinha não fará nada. Seguindo minhas instruções, pedi AI que fizesse um poema, delineei alguns sentimentos que me perturbavam e acrescentei algumas outras ideias, no final o resultado foi medíocre para mim, mas não muita mais medíocre do que alguns poemas que eu mesma faço. Leia no final do artigo.

Oportunidades de inovação e crescimento

Apesar dos desafios, a tecnologia oferece inúmeras oportunidades para impulsionar a economia criativa. Ferramentas como o ChatGPT têm permitido aos criadores explorar novas formas de expressão e liberar seu potencial criativo. No entanto, é essencial encontrar um equilíbrio entre a inovação tecnológica e a proteção dos direitos autorais e da integridade artística.

O futuro da Economia Criativa

Resumindo, o papel da tecnologia na economia criativa é complexo e multifacetado, apresentando tanto desafios quanto oportunidades. Ao enfrentar esses desafios com resiliência e criatividade, podemos construir um futuro em que a tecnologia e a criatividade se complementam, impulsionando o desenvolvimento econômico e cultural de forma sustentável e inclusiva.

Primeiro poema em IA – tema: Empata

O Brasil me dói, nas entranhas, nas vísceras,

Dizem que voltei europeizada, mas não importa,

O Brasil me dói, em cada esquina, em cada olhar.

Tomo café, um hábito importado, enquanto lá fora,

O pedinte me implora, com sua dignidade dilacerada,

Seus olhos suplicam, sua voz é silenciada.

Peço um lanche pelo aplicativo, conveniência moderna,

E o entregador chega, com a fome estampada no rosto,

Nos dedos magros, na alma cansada.

Caminho pelas calçadas arborizadas, na cidade “inteligente”,

Desvio dos pedintes, das vidas esquecidas, dos sonhos perdidos,

Pulo pernas, braços, e olhos de fome, como se fossem obstáculos.

Assim desnorteada, perdida nesta teia de desigualdades,

Com a cabeça embriagada de desespero e dor,

Escrevo um poema, na AI, buscando respostas.

Por que tudo me afeta? Por que o sofrimento alheio

Se insinua em minhas entranhas, me toca na alma,

Como se fosse meu próprio fardo a carregar?

Como se o meu próprio fardo já não fosse o bastante?

O papel da tecnologia na economia criativa é complexo e multifacetado, apresentando tanto desafios quanto oportunidades.

Edra Moraes

Profissional de marketing, produtora cultural e escritora. Agitadora cultural e idealizadora do Movimento Londrina Criativa. Prêmios:  Obras Literárias Digitais 2020, “Antologia Poética | Seleção da AutoraMemorial Vivência, Literatura, Livro e Leitura UnesparCultura nas Redes 2020 e FCC Digital 2020. Me siga nas redes sociais: Facebook, Instagram @edra_moraes, YouTube @edra-moraes27. Contatos: e-mail edra.moraes27@gmail.com e fone/whatsapp: (41) 997722447.

Leia mais sobre Economia Criativa

(*) O conteúdo das colunas não reflete, necessariamente, a opinião do O LONDRINENSE.

Foto: Canva

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.