Diário de Resistência: “Tudo tem um tempo”

Por Angela Diana

Na coluna de hoje, gostaria de não de dar conselhos para os iniciantes (não tenho essa sabedoria toda!), mas passar um pouco do que pode, futuramente, ajudar muito com o trabalho! Uma das coisas mais importantes é: comece uma poupança! E agora com tantos recursos e aplicativos, você pode escolher pagar uma aposentadoria privada ou o INSS! Mesmo que você comece com R$2, isso fará uma enorme diferença! Tenha CNPJ! Ou MEI! Além de ajudar na aposentadoria, caso queira apresentar projetos ter um MEI ou CNPJ fará uma enorme diferença.

Não saia por aí espalhando suas obras de qualquer jeito e em qualquer lugar (quase nunca vale a pena! Saiba escolher onde você quer que seu trabalho seja apresentado). Não caia na história que muitos contam para gente quando somos iniciantes: “Ahh! Pendura na parede do restaurante! Assim as pessoas vão ver”… NÃO! Elas não vão! E há menos que a obra estiver inserida no projeto do espaço e você ser pagos por isso, acredite, poucas vezes vale a pena. A obra precisa ser bem mostrada e TUDO depende da intenção do projeto!

Foto: Pixabay

Quando eu tinha a Oficina de Arte Contemporânea (com minha amiga Mira Benvenuto), fizemos muitas mostras e, depois que Mira mudou de cidade e eu continuei com a escola de arte, o grupo apresentou obras em inúmeros lugares. Quase nenhum desses tinha sido feito para exposições, mas nós conseguíamos adequar o espaço para receber as obras. Um exemplo foi no extinto bar Vila Pirata. Foi uma das expos mais legais que fizemos, porque conseguimos adequar e trabalhar com a ideia da expo “alternativa”. Isso também é muito importante: saber como montar num lugar alternativo ou no lugar apropriado para isso! Ter a consciência  que é necessário envolver a pessoa para “ver” a obra.

Aprecie seu esforço, mas seja humilde! Sempre vai ter gente que saberá muito mais que você e gente que não saberá nada! Respeitar e conseguir o respeito dos colegas de profissão! Sabe aquela situação: “Podem até não ir com a minha cara, mas o trabalho merece respeito”? Seja ÉTICO, gente! Não passe “por cima” de colegas para conseguir um trabalho! Não se deixe levar pela corrupção, mas também não se deixe roubar ou atentar contra o que é de direito e justiça! Lute! Mas tenha a CONSCIÊNCIA que você sempre representara uma CLASSE! E TODOS os artistas fazem parte disso! O que um fizer de errado ou certo com certeza atingirá os demais!

Foto: Pixabay

Pesquise! O que mais vejo por aqui, são artistas iniciantes que não tem a mínima ideia de quem veio antes deles! Que não conhecem nomes como da Leticia Marquez, José Maria Frutuoso, Jajá Belluco (in memoriam), Paulo Mentem (in memoriam), Agenor Evangelista, Claudia Rezende, Henrique Aragão (in memoriam) e tanta gente boa que temos e que já fizeram tanto pela arte e cultura dessa cidade.

“Faculdade não forma artistas”! A frase não é minha! Foi dita para mim pelo grande Paulo Mentem! E hoje eu entendo como ele estava certo! E olhe que ele era um artista “diplomado”, mas sabia como poucos extrair da vida a essência para seu vasto trabalho!

Você não ESTÁ artistas! Você É! E a vida e arte sempre estarão ali! Juntas. Não queira ser “gênio”! Apenas faça seu trabalho… Da melhor forma possível. Às vezes, a arte nos pede o “sangue” e a gente dá! Às vezes, o que volta para nós da dedicação pela arte não é o dinheiro em espécime! É a sabedoria, a maturidade, a alegria, a conexão divina.

Para conseguir dinheiro, COBRE pelo seu trabalho! Não tenha vergonha de colocar preço na sua obra! Arte é trabalho árduo! E somos não gênios, mas “operários da arte”, como diz o Frutuoso! Se respeite! Respeite a “tribo” que você é! Somos artistas! E todos, em momentos diferentes passaremos por crises existenciais, dúvidas, alegrias, decepções,  prejuízos, gastos ou, o que também é muito desafiador, todo mundo terá AQUELE trabalho que vai envolver muitooo dinheiro (De boa, gente! De todos saber lidar com muito dinheiro, é a coisa mais difícil! Acredite)!

E…saber que cada um tem o seu tempo, para alguns a “fama” chega cedo, para outros demora mais, o mais importante nunca será ter seus “quinze minutos de fama”, mas ter um conjunto de obras que sirvam para mudar para melhor as pessoas ao seu redor! A arte muda as pessoas e as pessoas mudam o mundo…

Angela Diana

Sou londrinense e me dedico à arte desde 1986 quando pisei pela primeira vez no atelier de Leticia Marquez. Fui co-fundadora da Oficina de Arte, em parceria com Mira Benvenuto e atuo nas áreas de pintura, escultura, desenho e orientação de artes para adolescentes e adultos.

Foto: Pixabay

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.