Skip to content

Espetáculo com metáfora do amor está no Festival de Dança neste domingo (8)

“Mercúrio”foi idealizado pelo bailarino paulistano Luiz Oliveira e coreografado por Henrique Rodovalho; inspiração é a prosa poética “Fevereiro”, da escritora portuguesa Matilde Campilho

O LONDRINENSE com assessoria

“Sim, o mundo está absurdamente esquisito. Já ninguém confia nas imposições dos prefeitos, a esta hora na terra é um tanto carnaval, um tanto conspiração, um tanto medo. Metade fé, metade folia, metade desespero”. O texto “Fevereiro”, da poeta portuguesa Matilde Campilho, é o ponto de partida para o espetáculo “Mercúrio”, atração do Festival de Dança de Londrina na noite deste domingo (dia 8), às 20 horas, no Teatro Ouro Verde. Idealizada pelo bailarino Luiz Oliveira, integrante do elenco do Balé da Cidade de São Paulo, e coreografada pelo renomado Henrique Rodovalho, a montagem trata de encontros, de desencontros, de amor e de coragem.

“Por meio do poema declamado pela própria autora, o espetáculo é instigado, é provocado a existir e a ser exposto. A obra em cena, uma dança de corpos e de intenções múltiplas sobre uma relação de amor com suas leituras e possibilidades de existências, se revela pelos próprios intérpretes, os bailarinos Irupé Sarmiento e Luiz Oliveira, e também pelos olhos externos de quem observa e, por vezes, se envolve”, explica Rodovalho.

Contemplado pelo edital ProAC Dança e Performance / Criação de Espetáculo Inédito, a ideia desse duo surgiu de um questionamento de Luiz Oliveira: “Como encontrar o ritmo quando tudo aparente, certo e fixo sai do eixo?”. Em meio à pandemia da Covid-19, as palavras do texto ecoaram como um convite para a invenção de um novo lugar onde seu corpo deseja estar e se mover.

“Naquele momento, o poema se revelou um respiro em meio ao caos. Não há rimas, mas tudo se encaixa. Tive vontade de criar e de poder enxergar a possibilidade de um lugar não comum, onde amores são possíveis, onde o vento sopra no rosto, onde a beleza abraça e nos dá a possibilidade da esperança”, revela o bailarino e idealizador do projeto. “Hoje, nesse momento do País, parece que o poema nunca foi tão necessário”, completa.

Metáfora do amor

Em uma de suas passagens, o poema apresenta a imagem dos antigos termômetros de vidro, que, quando se quebram, o elemento químico mercúrio se multiplica em várias formas e tamanhos. Para a autora, essa deve ser uma das “cinco mil explicações” para o amor. Assim, a montagem não tem a pretensão de definir um amor entre duas pessoas, mas de colocar a busca necessária de existência deste e as suas cinco mil explicações. A coreografia de Henrique Rodovalho busca um lugar entre o gesto e o movimento, a dança e as suas inúmeras formas de se multiplicar, tal qual o amor.

Já a iluminação, acompanhando os bailarinos, usa a imagem das formas flutuantes do elemento químico que dá nome ao espetáculo. Da mesma forma, as cores do figurino, ora opacas, ora reflexivas, remetem ao seu cinza-prateado e reflexivo.

O Festival de Dança de Londrina 2023 é uma realização da APD (Associação dos Profissionais de Dança de Londrina e Região Norte do Paraná) e tem patrocínio da Prefeitura Municipal de Londrina / Secretaria Municipal de Cultura, por meio do PROMIC (Programa Municipal de Incentivo à Cultura).

Ficha técnica:
Concepção: Luiz Oliveira
Coreógrafo: Henrique Rodovalho
Intérpretes criadores: Luiz Oliveira e Irupé Sarmiento
Luz e trilha sonora: Henrique Rodovalho
Operação de luz: Ricardo Grings
Figurinista: Bruna Fernandes
Artista visual: João Pacca
Assessoria de imprensa: Flavia Fontes
Produção executiva: Caroline Zitto

Serviço:
“Mercúrio” – Luiz Oliveira e Irupé Sarmiento (São Paulo – SP)
Dia: 8 de outubro (domingo)
Horário: 20 horas
Local: Teatro Ouro Verde (R. Maranhão, 85)
Classificação indicativa: 14 anos

Ingressos para espetáculos:
R$20 e R$10 (meia-entrada)
Vendas On-line: Sympla
Vendas presenciais: Teatro Ouro Verde (Rua Maranhão, 85) – a partir do dia 7 de outubro
Horário de funcionamento: das 16 horas até o início do espetáculo

Foto: Mercúrio/João Pacca

Leia também – Os condomínios sustentáveis e a sua importância para 1 vida melhor no planeta

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.