Skip to content

Funcart mostra seus 30 anos de arte

Apresentações serão realizadas em diversos pontos para comemorar as três décadas de produção artística

O LONDRINENSE com assessoria

A Fundação Cultura Artística de Londrina (Funcart) comemora 30 anos de existência com uma Mostra de Projetos a partir de segunda (11), espalhando por diversos pontos da cidade aquilo lhe rendeu o título de utilidade pública e reconhecimento com premiações pelo trabalho de formação continuada na área de artes cênicas no interior do País. A programação da “Funcart Mostra Cultural – 30 anos de Arte e Cultura” conta com o patrocínio da Itaipu Binacional e apoio da Universidade Estadual de Londrina (UEL) através do Museu Histórico de Londrina.

E a mostra começa com tudo, com a apresentação do Ballet de Londrina na Concha Acústica, na segunda-feira (11), às 19h, na Concha Acústica. Na mesma noite, às 20h, acontece a apresentação dos espetáculo “OZ – Jornada para Além do Arco-Íris”, um espetáculo musical da Escola Municipal de Teatro, na sede da FUNCART.

Leno Queria Nascer Flor – foto: Luiz Perrota

Na quarta-feira (13), também com elenco da Escola Municipal de Teatro, acontece o espetáculo “Viajantes do Futuro”, às 20h, no Museu Histórico de Londrina. No dia 15 (sexta-feira) é a vez do Sarau Artístico do Projeto Brisa, que recebe a performance “Leno Queria Nascer Flor”, o Palhaço Arnica e a DetSet com música ao vivo no Centro Pop, a partir das 9h da manhã. Encerrando a programação tem Banda Nova, no domingo (17 ), às 17h com shows de Heloisa Trida, “Mulheres do Brasil” e o grupo Maracajá. Todas as apresentações são gratuitas, com classificação indicativa livre.

A Funcart nasceu da necessidade de um grupo de artistas e incentivadores da arte de organizar a produção artística que já acontecia de maneira descentralizada. “O objetivo era ter talvez um CNPJ para que pudéssemos desenvolver projetos e participar de editais. Londrina ainda era muito carente nesse sentido, não tinha nem Conselho de Cultura e havia a necessidade de uma organização para podermos realizar nossos trabalhos e, de certa forma, facilitar nossas atividades”, relembra Silvio Ribeiro, que está na na fundação até hoje, onde dá aulas de teatro e é diretor.

No início de tudo, em 1993, já existia, a Oficina de Dança que era uma escola privada e dois anos depois, veio a Escola de Teatro. O Ballet de Londrina foi o primeiro projeto da Funcart junto à Prefeitura, ainda sob a direção de Leonardo Ramos. “Talvez existisse na época uma certa ingenuidade. Não tínhamos bens nem dinheiro para uma Fundação, mas tínhamos coragem e a necessidade de criar esse mecanismo que acabou dando certo”, comenta.

A Funcart comemora 30 anos de produção artística com uma série de apresentações na Funcart Mostra Cultural - 30 anos de Arte e Cultura
Banda Nova – foto: Fábio Alcover

Ribeiro foi efetivado como professor na Funcart três anos após a sua fundação com a garantia de continuar trabalhando com a população em situação de rua, trabalho que ele já fazia há mais de dez anos e algo que acabou se tornando no que hoje é o Projeto Brisa – Saraus Artísticos. “Realmente a minha grande preocupação nesse tempo de coordenação da Escola de Teatro foi manter a boa formação já implementada pelas coordenações anteriores. E principalmente, a formação de público. Sem o público, nada disso faria sentido. De quê adiantaria uma escola que formasse atores, que produzisse espetáculos sem a preocupação com a formação de público?”, aponta.

Com isso vieram vários projetos onde ele esteve à frente. Um deles foi a Caravana Ecológica que rodou o Brasil inteiro em mais de 15 anos de circulação, um espetáculo direcionado principalmente para o caminhoneiros, já que tratava de assuntos ambientais, no caso o tráfico de animais..

“São 30 anos de muita satisfação ao ver profissionais atuantes em palcos de todo o Brasil e que começaram nesse espaço. Criamos a oportunidade de profissionalização. Atores, atrizes e produtores que desenvolvem suas atividades com base no que a gente aprendeu e depois, ensinou dentro da FUNCART. A pós-pandemia ainda trouxe uma nova leva de pessoas querendo fazer teatro e isso também é estimulante”, diz Ribeiro.

Segundo ele, a maior expectativa está ainda na construção do projeto de teatro de containers. “Um processo que já está com a Prefeitura e avançou pouco. É um projeto muito bonito, um teatro pensado para grupos londrinenses. Nosso maior objetivo é,  além de manter as escolas municipais de dança, a Escola Municipal de Teatro e a Escola Municipal de Balé de Londrina, é a construção do nosso teatro contêiner”, revela Ribeiro.

Marciano Boletti começou a estudar balé 1989, na Escola Oficina de Dança, aluno de Leonardo Ramos e Fátima Vitor. “Eu tinha 17 anos e nunca tinha tido contato com o balé antes, nunca tinha visto, não conhecia o que era. Por acaso, estava passando em frente à Oficina e resolvi entrar pra ver o que estava acontecendo com aquela música clássica, tudo muito intuitivo. Fiquei emocionado e perguntei o que era e me disseram que era balé clássico, com a possibilidade de uma bolsa para rapazes. Não parei mais, nem um dia sequer”, conta.

Boletti estudou na Funcart desde o começo, em 1993 e passou na Audição para integrar o elenco do Ballet de Londrina onde está até hoje, como diretor de ballet. Em 1996, Boletti se tornou professor e batalhou para superar as dificuldades daquele começo, ganhando um salário mínimo. “Era tudo feito com muito amor porque sabíamos  que estávamos trabalhando com aquilo gostamos, era um privilégio. Valorizo a FUNCART até hoje porque sei o quanto que é difícil trabalhar e conseguir viver de arte no Brasil”, afirma.

Para ele, uma das maiores conquistas é o reconhecimento por parte da comunidade e da Prefeitura, que mesmo depois de tantas gestões continua apoiando a Fundação. “Tantos espetáculos de qualidade, alcançando um grande público e os alunos, testemunhando como a Funcart foi importante para a formação deles como pessoas, além do artista, por ter trazido tanta inclusão e cidadania para todos. Essa é a nossa maior recompensa. Ela dá a possibilidade para as pessoas a se desenvolverem artisticamente. Eu acho que isso é uma coisa muito boa, porque todo ser humano tem esse lado artístico”, completa.

SERVIÇO

“FUNCART Mostra Cultural – 30 Anos de Arte e Cultura”, 

De 11 a 17 de dezembro

Realização: FUNCART

Patrocínio: Itaipu Binacional

Apoio: UEL – Museu Histórico de Londrina

Segunda – 11/12/ 2023: “BORA!” – Ballet de Londrina

Na Concha Acústica de Londrina, às 19h

Segunda – 11/12/2023: “OZ – Jornada para Além do Arco-Íris” – Espetáculo Musical da Escola Municipal de Teatro

Na FUNCART, 20h.

Quarta – 13/12/2023:  “Viajantes do Futuro” – Escola Municipal de Teatro

No Museu Histórico de Londrina, 20h

 Sexta – 15/12/ 2023: “BRISA: Sarau Artístico”


LEIA TAMBÉM – Games: prós e contras é o assunto do O Londrinense POD, desta quinta-feira (07)

No Centro POP, 9h. Com a performance “Leno Queria Nascer Flor”, de Rogério Francisco Costa, Palhaço Arnica e DetSet, com música ao vivo.

Domingo – 17/12/2023: “Banda Nova”

Na Concha Acústica de Londrina, 17h, com shows de Heloisa Trida – Mulheres do Brasil e do Grupo Maracajá

Foto principal: Viajantes do Futuro, foto de Camila Sanches

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.