Skip to content

Concerto com estudantes encerra a programação artística do 43º FIML neste domingo (16)

Orquestra do Festival é formada por estudantes de vários estados brasileiros; Feira Okupa também estará participando, em frente ao Teatro Ouro Verde, das 9h às 14h

O 43º Festival Internacional de Música de Londrina (43º FIML) termina neste domingo (16) e o concerto de encerramento será com a Orquestra do Festival formada por 80 bolsistas vindos de 13 projetos socioculturais (veja abaixo), de diversas cidades e estados brasileiros.

No festival, estes estudantes participaram de cursos e da prática de orquestra, além de integrarem o Encontro Nacional de Orquestras Sociais, realizado durante o festival, pela Rede Brasileira de Prática Musical Reflexiva.

O concerto de encerramento começa às 10h30, no Teatro Universitário Ouro Verde e antes da Orquestra do Festival subir ao palco, abre o evento a Orquestra “Experimental” do 43º FIML formada por 31 estudantes sob a regência de Lucas Anízio de Melo, aluno de regência, bolsista do festival e Integrante do projeto “Vale Música”, do Espírito Santo (ES).

A Orquestra Experimental apresenta duas peças: “Suíte Infância Brasileira”, de Elodie Bouny e “Suíte Brasileira”, de Dimitri Cervo.

Na sequência, o público ouvirá a Orquestra do 43º FIML sob a regência do maestro Luiz Martins, tendo como solista o saxofonista, Gabriel Peixoto, que está cursando Licenciatura em Música pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e a jovem violinista, Catarina Suksom Maia, integrante do projeto social Instituto Zeca Pagodinho do Rio de Janeiro.

A orquestra do festival executará “Suíte para Orquestra de Cordas” (Edino Krieger); “Carinhoso”, (Pixinguinha -Arr. Lucas Pigari e Rubens Ricciardi), com solo de Gabriel Peixoto (Saxofone Soprano); “Romance em Fá Maior – Op. 50”, (Ludwig van Beethoven), com solo de Catarina Suksom Maia (Violino); “Sinfonia nº 1 em Dó Maior – Op. 21” (Ludwig van Beethoven) e “Suíte Nordestina” de Mestre Duda (José Ursicino da Silva).

Rede Brasileira de Prática Reflexiva

A Rede Brasileira de Prática Musical Reflexiva conecta pessoas envolvidas em projetos sociais de música para o compartilhamento de ideias, práticas, experiências, ferramentas, testemunhos sobre suas próprias práticas pedagógicas e experiências de educadores musicais e gestores que atuam em comunidades vulneráveis das cinco regiões do Brasil. A Rede é dirigida pela professora Magali Kleber e conta com patrocínio da AGRIGENTO, organização não governamental com sede em Londres, Inglaterra, sob consultoria internacional do educador Phil Mullen, participante do 43º Festival de Música de Londrina.

Seguem os projetos integrantes da Rede, que participam do 43º FIML com estudantes e que formam a Orquestra que encerra o Festival: Projeto Guri (São Paulo); Quinteto de Cordas Prima (Paraíba); Camerata ONG Arte e Vida (Arapongas-PR); Projeto Vale Música (Espírito Santo); Camerata IASA (Bahia); Projeto Santo Antônio (Bahia); Programa Aprendiz (Rio de Janeiro); Solar menino de Luz (Rio de Janeiro); Escola de Música da Rocinha (Rio de Janeiro); Instituto Zeca Pagodinho (Rio de Janeiro); Projeto Ação Social Pela Música (Rio de Janeiro); Orquestra da Grota (Rio de Janeiro) e Projeto da Escola Municipal de Música de Pres. Prudente (São Paulo).

O maestro da Orquestra do 43º FIML

Luiz Martins é graduado em música licenciatura pela Universidade Federal de Alagoas e mestre em regência pela Universidade de Aveiro, Portugal. É Maestro titular, Diretor Artístico e sócio fundador da Orquestra Filarmônica Alagoas, onde já regeu mais de 60 concertos em um período de quatro anos. No canto coral, Luiz Martins é fundador do Coro do Centro Universitário Cesmac, fundado em 2006. Atuou entre 2006 e 2014 como violinista da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Alagoas. Luiz Martins destaca-se também como compositor, arranjador, preparador vocal e diretor musical em diversos espetáculos musicais e concertos no Brasil e exterior. Participou de Masterclasses em violino, canto, regência orquestral e coral com professores e maestros renomados. Atuou como maestro em várias orquestras do Brasil, EUA e Cabo Verde, África. Em 2019, Luiz Martins recebeu o prêmio e comenda Pe. Teófanes Araújo Barros concedido pela Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro pelo reconhecimento ao trabalho desenvolvido junto às orquestras e coros no nordeste do Brasil.

Feira Okupa no 43º Festival

A Feira Okupa, evento itinerante onde expositores de vários segmentos mostram seus trabalhos este ano também encerra as atividades do 43º Festival Internacional de Música de Londrina. O evento que traz gastronomia, moda, jardinagem, joias artesanais, cosmetologia natural, brechó, artefatos em couro, acessórios, gastronomia, brinquedos e outros, será instalado em frente ao Teatro Universitário Ouro Verde, entre 9h e 14h.

Feira Okupa – Foto: Divulgação

A Feira é uma oportunidade de troca de informações e de fazer girar educação, arte e empreendedorismo. O local que acolhe a Feira é transformado por ela e visto de uma maneira diferente da qual foi concebido, ampliando seu público e oferecendo infraestrutura para que a economia criativa possa circular.   

A OKUPA já circulou em vários locais de Londrina como bares, centros culturais danceterias e fez parcerias com eventos reconhecidos pelo público como a Parada Lgbtqi+.

Serviço:

Concerto de Encerramento do 43º FIML.

Quando: domingo, dia 16 – às 10h30.

Local: Teatro Universitário Ouro Verde.

Ingressos: R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 a meia/

Compra pela plataforma Sympla.

Feira Okupa

Domingo, dia 16, das 9h às 14h.

Em frente ao Teatro Universitário Ouro Verde

Foto: Divulgação

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.