Skip to content

Estou envelhecendo e não gosto disso

Por Telma Elorza

“Completei 45 anos recentemente e estou assustada. Sinto que estou envelhecendo sem cumprir minhas metas e objetivos de vida. Além disso, não me sinto mais tão bonita quanto era quando mais jovem. Cuido muito da minha aparência e já estou programando uma plástica na área dos olhos e queixo, mas o problema é que me sinto velha por dentro. Isso é normal?”

Minha amiga, o envelhecimento assusta todo mundo, sejam homens ou mulheres. O problema é que a alternativa é morrer jovem. Então, o que prefere?

Mas o medo do envelhecimento é muito maior nas mulheres, porque somos cobradas a mantermos a mesma aparência perfeita que tínhamos quando jovens. Mais isso é impossível. A menos que esteja disposta a passar por plásticas e mais plásticas, até o fim, perdendo a naturalidade da idade.

No entanto, eu detectei aqui que o problema não é a sua aparência, mas sim um vazio interior. Disse que não cumpriu suas metas e objetivos de vida e que se sente velha por dentro. Isso é mais preocupante que as ruguinhas e os cabelos brancos que aparecem.

Quando a gente perde a vitalidade, o amor pela vida, aí sim envelhecemos e, pior, morremos rapidamente.

O que você precisa, antes das plásticas, é reavaliar sua vida.

Será que você está fazendo o que gosta ou está apenas “seguindo a correnteza”?

Quais seriam seus objetivos e metas? Por que não cumpriu? O que aconteceu que a impediu de realizá-los? Foi culpa sua ou o contexto geral da vida que a impediu? Será que esses objetivos eram tão impossíveis de serem alcançados que você acabou se frustrando?

Talvez seja o caso de buscar novos sonhos, novas metas. Mais realizáveis, mais concretas.

Busque um novo sonho, possível de ser realizado, tipo uma viagem maravilhosa para aquele lugar que você sempre quis ir. Cumprindo-o, passe para outro, um pouco mais complicado, mas ainda possível. São passos que a gente dá para trazer satisfação e dar forças para voos mais altos. Os chamados objeticos alcançáveis, em carreira. Mas que podem ser usados na vida, também

Envelhecendo, mas se divertindo

Envelhecendo sim, mas sem perder a vontade de viver coisas novas. A idade não pode ser desculpa para deixarmos de sonhar e curtir a vida.

São essas pequenas felicidades que nos proporcionamos que alimenta nossa força interior, nossa vitalidade.

Procure também um psicólogo para lidar com questões interiores maiores, que podem estar atrapalhando sua vida. Porque você precisa descobrir, de novo, o prazer de viver, de sonhar, de realizar.

Conheço idosos que dão exemplo de amor à vida. Nem os ossos velhos, as articulações mais sensíveis ou até a falta de dinheiro impendem que aproveitem os momentos, saiam para dançar, se divertir.

A gente só envelhece quando deixa de sonhar, de curtir os bons momentos, de ser feliz.

Eu, quase 15 anos mais velha que você, me considero na flor da idade. Ainda tenho muita coisa para viver, pra aprender, para curtir a vida, que é preciosa demais.

Deixo uma música de Arnaldo Antunes, para você escutar e pensar. Chama-se Envelhecer e este é o clipe que ele gravou há 10 anos, alguns dias antes de completar 50 anos. Foi mais ou menos na época que eu mesma 50tei. E ela me ajudou muito ver que, realmente, eu também queria tudo o que ele fala nela.

Pensa nisso.

Espero ter ajudado.

Quem é a Tia Telma

Telma Elorza é jornalista, divorciada e adora dar pitaco na vida dos outros. Mas sempre com autorização.

Siga O LONDRINENSE no Instagram

Arte: Mirella Fontana

Leia mais colunas do Consultório Sentimental da Tia Telma

(*) O conteúdo das colunas não reflete, necessariamente, a opinião do O LONDRINENSE.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.