Interessados em debater a cobertura jornalística em casos de violência contra mulher devem se inscrever até o dia 28 de março, pela internet

O LONDRINENSE com assessoria

O Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres (CMDM) realiza, no dia 30 de março, das 9h às 11h, um encontro com profissionais da imprensa para debater “O papel da mídia no enfrentamento à violência contra as mulheres”. A roda de conversa será on-line, por meio da Plataforma Zoom. Os interessados em participar devem se inscrever até a próxima segunda-feira (28), no endereço eletrônico encurtador.com.br/dgizC.

O público-alvo do encontro são os profissionais da imprensa, como jornalistas, repórteres, fotojornalistas, apresentadores, editores, pauteiros, produtores e apresentadores. O objetivo é debater a abordagem jornalística em coberturas de fatos e acontecimentos que envolvem violência contra a mulher, especialmente nos casos de violência física e sexual.

Segundo a presidente do CMDM, Rosalina Batista, a ideia para a realização do encontro surgiu após a repercussão reiterada da imagem de duas mulheres que foram vítimas de sequestro, seguido de estupro durante a madrugada de sábado para domingo, do dia 9 de janeiro, no Zerão. As mulheres voltavam de um evento, quando foram abordadas pelo agressor. Ele as obrigou a dirigir até uma estrada rural de Sertanópolis, onde cometeu outros crimes, como a violência física e a sexual.

“No episódio que aconteceu no Zerão, nesse ano, a imprensa ficou reprisando a imagem das duas vítimas diversas vezes. Isso cria um trauma maior ainda nelas, que têm sua imagem exposta para todo mundo. E isso acaba levantando questões negativas, como o motivo pelo qual elas estavam naquele lugar, o horário e a roupa que elas usavam. A sociedade impõe às mulheres o que elas podem falar, como elas devem agir, se vestir e se comportar e onde podem ir, inclusive quando elas são as vítimas dos crimes. Então, nossa intenção é conversar com os profissionais da imprensa, para que eles possam pensar em como divulgar essas notícias sem explorar a imagem da vítima e seu sofrimento”, elucidou a presidente do CMDM.

A proposta é promover uma reflexão crítica, a fim de sensibilizar os profissionais da comunicação, para a importância de uma comunicação livre de preconceitos e estereótipos de gênero, evitando a reprodução de conteúdos que naturalizam e banalizam a violência contra as mulheres. Para a secretária municipal de Políticas para as Mulheres, Liange Doy Fernandes, é importante chamar a atenção da população para essa pauta, pois é através da imprensa que muitas pessoas formam sua opinião e se informam acerca dos fatos. Assim, a parceria entre esses órgãos e as entidades ligadas às políticas públicas para as mulheres é de suma importância.

“As políticas públicas para as mulheres não são apenas para o bem-estar e a proteção do público feminino, mas para toda a sociedade. Por isso, é importante que os profissionais da imprensa saibam onde podem obter dados, estatísticas e informações confiáveis para informar a população de maneira correta e ajudar o maior número de pessoas possível, principalmente aquelas que são vítimas de violência. Dessa maneira, as pessoas se sentirão acolhidas e representadas e não mais traumatizadas ou agredidas”, pontuou a secretária da pasta.

Para abordar todos esses pontos, os organizadores convidaram o promotor de Justiça do Ministério Público do Estado do Paraná, Ronaldo Costa Braga, que atua desde 2016 no enfrentamento à violência doméstica e familiar e é professor de Direito da Fundação Escola do Ministério Público (FEMPAR) e da pós-graduação em Filosofia Política e Jurídica da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Também foram convidados três jornalistas mulheres atuantes na área: a assessora de imprensa do Observatório de Feminicídios de Londrina (Néias), Carol Avansini;  a jornalista, web designer, produtora cultural, escritora e integrante da Coalizão Negra por Direitos e Coalização Afro e membro do Colegiado Nacional da Rede Sapatá, Leila Lopes; e a jornalista do Diário do Grande ABC, colunista do Dia a Dia Revista, produtora de conteúdo e colaboradora do Portal Feminas, Aline Melo.

A mediação será feita pela mestre em Ciência da Informação, coordenadora do Coletivo Black Divas e coordenadora da Comissão de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres, Sandra Aguilera.

A ação é uma realização do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres (CMDM), por meio de sua Comissão de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, Núcleo de Comunicação da Prefeitura de Londrina e Néias – Observatório de Feminicídios de Londrina.

Foto: Divulgação

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.