Skip to content
A previsão orçamentária anual de um condomínio é exigência legal e deve ser aprovada em assembleia

A importância da previsão orçamentária anual na administração condominial

Por Claudenil Custodio

Quando se fala em valor da cota condominial, dificilmente alguém se lembra do orçamento anual aprovado na assembleia. A previsão de orçamento anual serve para várias coisas dentro do condomínio e dentre elas podemos citar algumas:

LEIA TAMBÉM

  • Dar ao público condominial uma ideia de quanto será o valor da cota mensal a ser paga durante o ano que se inicia. Quando falamos em “previsão orçamentária” isso já nos remete a conceito de que não será um valor exato, pois, existem muitas variáveis que acontecerão ao longo de 12 meses. Por isso, fazemos uma projeção de diversos dados, como inflação, reajustes salariais e encargos, manutenções necessárias e assim por diante;
  • A partir da previsão inicial, planejar quanto e como deve ser gasto em cada área dentro do condomínio, onde há necessidade de investimentos maiores e onde pode ser cortado ou diminuído;
  • A partir dos dados coletados e sistematicamente organizados, estudar ou definir o que poderá ser cortado ou renegociado, substituição de fornecedores, etc.

    Previsão orçamentária: Exigência Legal

    Além de ser uma ótima ferramenta de controle e planejamento, o orçamento anual é uma exigência legal, pois, está previsto no Art. 1.350 do Código Civil.

    Normalmente essa exigência está prevista, também, na convenção do condomínio, reforçando a obrigação do síndico em elaborar e seguir tal planejamento.

    Itens a serem analisados em uma previsão orçamentária:

    Alguns itens básicos que nunca podem faltar na hora de se elaborar a previsão orçamentária do ano, são:

    1. Receitas: nem só de despesas vive o condomínio, portanto, na hora do planejamento deve-se considerar também as receitas recorrentes que o condomínio, porventura tenha, tais como: aluguel de áreas comuns, espaços gourmets, espaços para instalação de antenas de telefonias, etc.
    2. Despesas: gastos mensais como água, luz, telefone, funcionários e encargos, seguros, materiais de limpeza, prestadores de serviços, etc.
    3. Melhorias: certas melhorias podem e devem ser previstas tais reformas, pinturas e outras melhorias;
    4. Inflação e reajustes: a inflação é item obrigatório no planejamento anual, assim como reajustes de salários e contratos.

    Discussão e aprovação do orçamento anual:

    Após relacionar todos os itens e feita a devida análise, é hora da aprovação. Convocar a assembleia e apresentar aos presentes item a item, de maneira clara e esclarecendo todas as dúvidas. Pode-se utilizar recursos visuais e/ou distribuir materiais impressos. É importante que não reste dúvidas.

    Acompanhar a previsão orçamentária

    No decorrer dos meses é de suma importância acompanhar o planejamento aprovado e cuidar para que os valores não fujam muito dos que foram aprovados.

    Manter o conselho fiscal sempre atualizado sobre a execução do orçamento é uma boa prática.

    Use sistemas de informática para auxiliar na montagem e no controle do orçamento anual.  

    E tenha sempre um profissional experiente para auxiliar nesta importante tarefa de gestão condominial.

    Boa semana!

    Boa semana!

    Claudenil Custodio

    Formado em Ciências Contábeis pela UEL, com especialização em Auditoria e Contabilidade Geral e em Contabilidade Gerencial e Societária, também pela UEL. Diretor da empresa Inadcon Contabilidade e Assessoria Condominial S/S Ltda. Contato: (43) 3329-5750  –  (43) 9 9996-0080. Me siga nas redes sociais www.grupoinovantes.com.br @inadconlondrina

    Leia todas as colunas Condomínios

    (*) O conteúdo das colunas não reflete, necessariamente, a opinião do O LONDRINENSE.

    Compartilhar:

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.