Skip to content

Para de chorar!

Ensinamos muitas coisas para nossas crianças todos os dias. Quantas vezes fazemos discursos e damos broncas elaboradas, passamos mensagens enormes antes mesmo da criança ter capacidade cognitiva de assimilar todas aquelas palavras vazias. A verdade é que, como esponjas, eles absorvem nossa forma de falar, mas acabam aprendendo muito mais pelas nossas atitudes do que pelo nosso belo discurso.

Se você repreende seu filho porque, quando está bravo, joga brinquedos longe, grita, chora e bate o pé mas, no trânsito, por exemplo, com ele no carro, você grita com outro motorista e bate no volante. A forma como você agiu vai ensinar muito mais do que a bronca sobre “não jogar coisas porque é feio”.

Tem uma frase do pensador Ralph Waldo Emerson que diz: “o que você FAZ fala tão alto que não consigo ouvir o que você DIZ.” É a velha e máxima: atitudes valem mais do que palavras.

Sempre tentei ensinar meus filhos a nomearem seus sentimentos. A maioria das crianças quando estão bravas ou com raiva acabam se descontrolando – com choro e birra – simplesmente porque não sabem se portar nem explicar o que estão sentindo. É aquele aperto na garganta que tantos adultos não conseguem controlar nem descrever, quanto mais seu filho de três, quatro anos.

Principalmente no dia a dia, com toda nossa correria, é complicado parar e tentar entender nossa criança nos momentos de estresse. Quantos “não chore!” você já disse? Será que não era mais eficaz você falar “entendo que você está nervoso. Eu sei que você ficou bravo! Pode chorar! Não grite nem jogue brinquedos porque você pode machucar alguém ou quebrar alguma coisa, mas pode chorar. Respira. Quer um abraço? Quer um tempo sozinho?” Estou falando aqui de crianças a partir de quatro anos, que já conseguem organizar melhor seus pensamentos e sentimentos.

“Para de chorar!” é tão eficaz para a educação da sua criança quanto tentar secar o chão do box enquanto o chuveiro está ligado. “Para de chorar!” é uma forma apenas de calar o sentimento da sua criança para que você não precise lidar com aquilo naquele momento. Não funciona. Não ajuda.

Crianças choram. Ensine seu filho a lidar com o sentimento (e aprenda você também a ter empatia pela sua criança).

Quando eu também me descontrolo e perco a paciência e meus meninos estão junt, depois sento com eles e falo “a mamãe ficou brava e gritou. Isso não é certo mas fiquei muito chateada porque aconteceu tal coisa” (use palavras e exemplos que eles consigam entender). 

Ser pai e mãe é isso. Lidar com o sentimento do seu filho e com os seus próprios, reconhecendo e ajudando eles a identificarem os problemas, para que eles possam entender que ficar irritado, chateado é normal e faz parte da vida. Lidar com isso é a melhor forma de amadurecer o emocional de uma criança. 

Foto: Mandyme27 por Pixabay 

Paula Barbosa Ocanha 


Jornalista, casada, trinta e poucos anos, dois filhos e apaixonada por educação infantil. Mesmo antes de casar, eu lia e me interessava por técnicas de educação, livros de pedagogia e questões sobre o desenvolvimento humano, principalmente na primeira infância. Com essa coluna, gostaria de relatar minhas experiências pessoais. E assim espero lhe ajudar, de alguma forma, a passar mais facilmente por essa linda (e assustadora) jornada da maternidade! Vem comigo e me siga também no Instagram @mamaepata


Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.