Skip to content

Em tempos de Corona, 10 livros para entender melhor a arte

Arte é uma coisa subjetiva, isso já sabemos. Mas procurar entender melhor sobre ela, ainda mais nos tempos atuais em que tudo pode ser classificado como arte é fundamental. Afinal, o que podemos considerar arte? O que tornou Van Gogh um dos maiores pintores da história? Quem disse que Banksy é o maior nome da arte atualmente?

Acredito que, como já citou a personagem de Dakota Fanning no filme “Grande menina, pequena mulher”, precisamos conhecer a base de tudo para então evoluirmos. Não podemos começar do topo, precisamos começar do básico (ok, eu sei que foi Gandhi ou alguém realmente importante que citou isso, mas eu amo esse filme e sempre irei citá-lo quando puder), então criei aqui uma lista de 10 livros legais para quem quiser começar a entender de arte.

Em tempos em que não podemos sair de casa, se aprofundar em um assunto que conhecemos pouco e queremos conhecer mais é legal demais, não é mesmo? Eu mesma estou no momento estudando sobre uma técnica de pintura que me é pouco explorada, o acrílico e estou lendo muito, mas muito mesmo, sobre arte contemporânea. Terminarei a quarentena mais gordinha, mais letrada e pintando melhor. Vamos aos livros?

1 – Coleção primeiros passos – “O que é Arte?” e “O que é beleza?”

A coleção primeiros passos é curta, divertida e simples de se ler. Eu, particularmente, sou fã dela. Sempre que quero começar a entender de um assunto eu primeiro recorro a ela e depois passo para outros livros. O mais legal é que sempre se acha online e em sebos por um preço ótimo. O primeiro explica o conceito básico de arte e é ótimo para se iniciar. O segundo título, “O que é beleza?” já trata de uma parte mais filosófica sobre o que é o conceito de estética (estética é um ramo da filosofia) e beleza e é ótimo para quem quer deixar a parte mais acadêmica de lado e começar a entender as outras ramificações que não sejam as mais clássicas e “esteticamente agradáveis” para a gente.

2 – Cartas a Theo – Vincent Van Gogh

Van Gogh é um nome carimbado de quem gosta de arte, mas o que poucas pessoas sabem é que ele era um exímio escritor de cartas. Escreveu muitas durante muitos anos para seu irmão Theo. Com o passar das páginas, você vai entrando mais na mente do pintor e vendo as mudanças tanto na sociedade, quanto na saúde mental deste pintor maravilhoso. Existem diversas edições do livro, mas a que eu mais gosto é uma de bolso que eles eliminaram coisas como, por exemplo, listas de material de pintura que Vincent pedia a Theo e que não fazem diferença alguma para alguém que não estuda o pintor a fundo.

3 – O Segredo de Frida Kahlo

Baseado no Livro de Erva Santa, livro onde a pintora mais famosa do México anotava TODAS as suas receitas, este livro traz a culinária mexicana à tona e mostra os pratos favoritos de Diego Rivera, Trotsky e todos os inúmeros artistas e intelectuais que frequentavam a casa da artista mexicana que mais soube trazer beleza e sabor as dores da vida. Comida também é arte, lembrem-se sempre disso!

4 – Arte para crianças

Este livro é para quem tem criança em casa! Ele é mega didático, colorido, divertido e cheio de informações legais! Ele vai desde a pré-história até a arte de rua e passa pelos principais movimentos. A impressão é linda e tenho certeza que vai fazer os pequenos se interessarem.

5 – Breve História da Arte

Como estudante de artes, quando peguei este livro pela primeira vez eu torci o nariz. Como assim uma página por movimento? Como eles ousam colocar o impressionismo em uma página só? Pois bem, o título deixa isso bem claro… BREVE História da Arte. Depois da birra de pessoa acadêmica ser deixada de lado e eu ter lido o livro inteiro, vi o quão legal ele era. É uma leitura mais superficial, mas muito interessante sobre todos os movimentos, sobre várias técnicas artísticas e sobre vários quadros. Ele é muito legal e divertido para quem está começando e eu aprendi muito sobre movimentos que eu nem dava bola e depois resolvi me aprofundar, graças a ele.

6 – O que faz de Monet um Monet

Monet era meu pintor favorito até os 9 anos (quando descobri Van Gogh em uma viagem), porém, apesar de ter trocado de marido, eu mantive o carinho pelo meu primeiro grande amor. Quando vi este livro em uma feira eu grudei nele e nunca mais larguei. Ele mostra as técnicas do pintor, fala sobre a sua catarata (o pintor foi ficando cego com o passar dos anos e isso foi retratado nas suas obras em série) e mostra direitinho o que fez de Monet o grande chefe do movimento impressionista.

7 – A Arte de Ver a Arte

Agora já estamos entrando em nível avançado. Este livro explica como analisar quadros separados de maneira muito interessante. Fala de paisagens, de retratos, mitologia, etc. Explica sobre os triângulos e as análises. Os retratos de Rembrandt, as imagens católicas, etc. A linguagem  não é acadêmica e vale a pena ir atrás dele.

8 – Breve História da Arte Moderna

A arte contemporânea sempre foi um desafio para mim. Eu, como estudante do ramo, deveria entender mais ela, mas não descia. Eu odiava performances, não entendia alguns quadros, chorava de desespero ao ver obras que eu classificava horrorosas sendo vendidas por milhões enquanto artistas que eu classificava como ótimos não eram reconhecidos. Pois bem, depois de ler o “Breve História da Arte” descobri a sequência dele e pensei: “Poxa, se eu achei legal pra quem não entendia de arte aquele, eu que não entendo de arte contemporânea posso aprender com esse”. E aprendi. Foi muito, muito útil para a minha jornada e continua sendo um ótimo guia para quando eu torço o nariz para um quadro branco com uma linha preta.

9 – Escritos sobre arte – Baudelaire

Eu pulei do nível mediano de arte para nível hard. Ler este livro do Baudelaire foi uma das coisas que mais me exigiram paciência (só não mais que os Diários do Andy Wahrol e do Salvador Dalí). A linguagem é pesada, tem muitos nomes que não reconhecemos pois eram contemporâneos dele e não entraram tanto para a história da arte, mas foi um livro que mudou a minha vida. Ele fala sobre o cômico e sobre o riso e como devemos pensar sobre ele. Ainda tem metade do livro destinado a um dos maiores artistas da história e seu amigo, Delacroix. É daqueles livros que você acaba, fecha ele e fica 1 hora olhando para o teto e refletindo sobre tudo que leu. A minha dica é: leia com o dicionário do lado. A linguagem do Baudelaire é bem rebuscada, mas é interessantíssimo e você vai aprender várias palavras novas.

10 – A História da Arte – Gombrich

Chegamos ao Vade Mecum da história da arte. Nesse caso tanto de importância, quanto de tamanho. Quando você entra em qualquer curso de artes a primeira coisa que seu professor vai te mandar comprar antes de lápis e até mesmo papel é este livro do Gombrich. Se ele peca na questão da arte rupestre, ele é primoroso em todos os outros aspectos e movimentos. Gombrich escreveu 60 anos atrás a maior obra de arte para quem quer entender de história da arte até hoje e dificilmente será superado.

Teresa Marcon

é também conhecida como Lola. Estuda museolgia na Belas Artes do Paraná e antes se aventurou por moda e história. É apaixonada pelas duas áreas, mas sua casa mesmo é o museu. Acha que a linguagem da arte deveria ser menos acadêmica e que cemitérios deveriam ser espaços museais. 

Foto principal: Cliff Walk at Pourville, Claude Monet

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.