Skip to content

Compras on-line: como identificar sites fraudulentos

Por Flávio Caetano de Paula Maimone

As compras on-line têm se tornado cada vez mais populares, oferecendo conveniência e uma ampla variedade de produtos e serviços ao alcance de um clique. No entanto, essa facilidade também traz riscos, como o aumento de sites fraudulentos que podem prejudicar o consumidor. Saber identificar essas fraudes é essencial para proteger seus direitos e garantir uma experiência de compra segura.

Sinais de alerta em sites fraudulentos

  1. Ofertas Muito Atraentes:
    • Desconfie de preços extremamente baixos ou ofertas mirabolantes. Se algo parece bom demais para ser verdade, redobre a atenção, pois pode ser indicativo de fraude.
  1. URL e segurança do site:
    • Verifique se a URL do site começa com “https://” e se há um ícone de cadeado ao lado. Isso indica que o site possui um certificado de segurança.
    • Cuidado com URLs semelhantes a sites populares, mas com pequenas variações, como erros de ortografia ou domínios diferentes (por exemplo, “.net” em vez de “.com”).
  1. Informações de ontato:
    • Sites legítimos geralmente fornecem informações claras de contato, incluindo endereço físico, número de telefone e e-mail, conforme determinado no Decreto do E-Commerce. Se essas informações forem vagas ou inexistentes, desconfie.
  1. Política de Privacidade e Termos de Uso:
    • Verifique se o site possui uma política de privacidade clara e termos de uso acessíveis. A ausência desses documentos demonstra falta de transparência e de credibilidade.
  1. Erros de ortografia e gramática:
    • Sites fraudulentos muitas vezes contêm muitos erros de ortografia e gramática, o que pode indicar que foram feitos sem supervisão profissional.
  1. Avaliações e testemunhos:
    • Pesquise avaliações de outros consumidores sobre o site. Use plataformas de avaliação como consumidor.gov.br e Reclame Aqui, além de sites de redes sociais para verificar a reputação da empresa.
    • Cuidado com avaliações extremamente positivas genéricas e sem detalhes ou perfis suspeitos.
  1. Métodos de pagamento:
    • Prefira sites que oferecem métodos de pagamento seguros, como cartão de crédito, PayPal ou outras formas de pagamento reconhecidas. Evite transferências bancárias diretas, pois são mais difíceis de reverter em caso de fraude.

O que fazer se cair em um golpe

  1. Notificar o banco:
    • Se você pagou com cartão de crédito, entre em contato com o banco imediatamente para cancelar a transação e evitar maiores prejuízos. É dever do cartão suspender a cobrança imediatamente.
  1. Registrar um Boletim de Ocorrência:
    • Relate o incidente à polícia para registrar o caso e, quem sabe, ajudar a prevenir futuras fraudes.
  1. Procurar o Procon:
    • Registre uma reclamação no Procon (ou consumidor.gov.br) para obter orientação e possivelmente recuperar seu dinheiro.
  1. Monitorar seus dados pessoais:
    • Se você forneceu informações pessoais ou financeiras ao site fraudulento, monitore seus dados e considere utilizar serviços de monitoramento de crédito.

Proteger-se contra sites fraudulentos é um aspecto crucial do direito do consumidor em compras on-line. Manter-se informado e vigilante pode fazer a diferença entre uma experiência de compra segura e cair em um golpe. Lembre-se sempre de verificar a legitimidade dos sites, utilizar métodos de pagamento seguros e buscar ajuda imediata caso suspeite de fraude.
Image by vecstock on Freepik

Flávio Henrique Caetano de Paula Maimone

Sites fraudulentos podem prejudicar muito o consumidor que não souber se proteger. Fique atento aos sinais de alerta e saiba o que fazer se caiu em um golpe

Advogado especialista em Direito do Consumidor, sócio do Escritório de advocacia e consultoria Caetano de Paula & Spigai | Sócio fundador da @varbusinessbeyond consultoria e mentoria em LGPD. Doutorando e Mestre em Direito Negocial com ênfase em Responsabilidade Civil na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Diretor do Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor (BRASILCON). Associado Titular do IBERC (Instituto Brasileiro de Estudos de Responsabilidade Civil). Professor convidado de Pós Graduação em Direito Empresarial da UEL. Autor do livro “Responsabilidade civil na LGPD: efetividade na proteção de dados pessoais”. Colunista do Jornal O Londrinense. Instagram: @flaviohcpaula

Leia mais colunas sobre Direito do Consumidor

(*) O conteúdo das colunas não reflete, necessariamente, a opinião do O LONDRINENSE.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.