Skip to content

O coração tem suas próprias razões…

Por Fábio Luporini

O racionalismo exagerado não é a melhor maneira de enxergar o mundo. Ao contrário, é preciso levar em conta outros tipos de conhecimento. Mas, por outro lado, também não é legal entender e compreender a realidade por quaisquer outros extremismos. Inclusive paixões exacerbadas. Por isso, é preciso levar em conta o pensamento do filósofo francês Blaise Pascal, para quem “o coração tem razões que a própria razão desconhece”.

Crítico do racionalismo, Pascal quer mostrar que há conceitos que só podem ser entendidos à luz das emoções e sentimentos. Ou seja, pelo coração. Como é, por exemplo, a crença na existência de Deus. Racionalmente, é difícil explicar ou provar. Então, é possível observar o significado através das sensações. Assim, a consciência intelectual ou moral é diferente das paixões e emoções. Uma pode estar relacionada à outra. Mas, também, pode ser que tenham motivações distintas.

Veja, racionalmente, é possível entender as pessoas que tenham votado em Jair Bolsonaro por não quererem perpetuar o PT no poder, em 2018, por meio da candidatura de Fernando Haddad. Entretanto, não é a razão que explica o bolsonarismo, corrente ideológica que acredita estarmos à beira de um comunismo, sob ameaça de invasão e domínio chinês e vomitando tantos preconceitos sociais.

O que explica esse tipo de coisa é o “coração”. Isto é, o conjunto de sentimentos e emoções, inflamados por um discurso retórico conflituoso divergente capaz de fazer com que as pessoas que acreditam nele vejam apenas a bolha que os circunda. Portanto, é possível compreender a realidade de hoje por meio da teoria de Pascal: a ideologia bolsonarista tem suas próprias razões. Não estou dizendo que são justificáveis. Pelo contrário, não é possível aceitar, justificar ou compactuar com o modus operandi bolsonarista. Mas, infelizmente, é possível entender que tem suas razões e motivações próprias.

E isso vale com todos os aspectos da realidade da vida. Inclusive acerca da existência de Deus. Sempre digo que o ateu, por exemplo, tem suas razões para não crer do mesmo jeito que o crente tem suas motivações para acreditar. E está tudo bem, cada qual com sua ideologia. O segredo da harmonia do mundo está em respeitar o pensamento diferente e, assim, poder conviver em sociedade. O bolsonarismo não sabe.

Fábio Luporini

Sou jornalista formado pela  Universidade Norte do Paraná e sociólogo formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) . Fui repórter, editor e chefe de redação no extinto Jornal de Londrina (JL), atuei como produtor na RPC (afiliada da TV Globo), fundei o também extinto Portal Duo e trabalho como assessor de imprensa e professor de Filosofia, Sociologia, História, Redação e Geopolítica, em Londrina.

Foto: Blaise Pascal/Reprodução da internet

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.