Skip to content

De coração aberto, viajar é uma experiência que se volta de bagagem cheia

Por Fábio Luporini

Neste exato momento que escrevo estas linhas, estou no meio do Tocantins. Literalmente. Vim passar uns dias no Jalapão, um paraíso natural no meio do Brasil e ainda desconhecido por grande parte dos brasileiros. O cenário está mudando, aparentemente. E eu não podia deixar de enviar o texto, mesmo com as dificuldades de internet e a correria do passeio. Até porque fiquei com ele na cabeça o dia todo e tem tudo a ver com o momento que estou vivendo: viajar é imprescindível. Viajar é cultura, é humano, é fundamental.

Viajar torna a gente pessoas melhores porque nos coloca em contato com diferentes seres humanos, diversidade de pessoas e de pensamentos. Por isso, filosoficamente, defendo que as pessoas precisam viajar mais. É preciso sair do quadradinho da vida em que a gente trabalha oito horas por dia, não tem pique no fim de semana e tira um mês de férias, quando não 20 dias porque precisa vender dez, para viajar apenas uma vez ao ano, na maioria das vezes para a mesma praia do ano anterior.

A gente tem que fazer igual a Criattiva Turismo, empresa de consultoria de viagens que atendo na assessoria de imprensa, que está se especializando, entre outras coisas, na roteirização de viagens para colaboradores de empresas e suas famílias, como uma maneira de potencializar a felicidade no ambiente de trabalho, combater o burnout e deixar os trabalhadores mais estimulados. A gente trabalha demais, não é mesmo? E não tem problema algum dar uma trabalhadinha durante um passeio, afinal, a vida é tudo junto e misturado mesmo. Da mesma maneira que não tem problema algum dar uma viajadinha durante o trabalho.

Percebe como a gente precisa viajar mais? Conversando com os amigos que fiz no roteiro do Jalapão, já viajei para o Rio de Janeiro, para Santos, para os Lençóis Maranhense, fui a Portugal e voltei, relembrei e quis voltar a Machu Picchu, revisitar a Bolívia e programar uma série de viagens que ainda preciso fazer. Viajar estimula o que há de melhor na gente. Mas, é preciso ir com o coração aberto que a bagagem vai voltar cheia, repleta de histórias e experiências.

E aí, bora viajar?

Fábio Luporini

Sou jornalista formado pela  Universidade Norte do Paraná e sociólogo formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) . Fui repórter, editor e chefe de redação no extinto Jornal de Londrina (JL), atuei como produtor na RPC (afiliada da TV Globo), fundei o também extinto Portal Duo e trabalho como assessor de imprensa e professor de Filosofia, Sociologia, História, Redação e Geopolítica, em Londrina.

Foto: Lagoa do Japonês no Jalapão/Fábio Luporini

Compartilhar:

2 Comentários

  1. Bom diaaaaaa!!!
    Você é o melhor que pude conhecer pessoalmente nesses últimos dias!
    Me sinto privilegiada por isso!
    Gratidão eterna!

    últimos dias

  2. É isso! Viajar de coração aberto, viver de coração aberto! Não tem erro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.