Skip to content

Bacurau e sua crítica social

Bacurau é um filme nacional dirigido e roteirizado por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Kleber ganhou notoriedade nacional e internacional ao dirigir O som ao redor e Aquarius que, assim como Bacurau, possuem afiadas críticas sociais. A diferença é que, enquanto O Som e Aquarius se passavam em um país de inclusão social, Bacurau se passa em uma terra que, por falta de melhor designação, chamaremos de nazista.

O filme é repleto de alegorias, e o tempo é marcado pela aparição de caixões que, ritmicamente, surgem na tela no desenrolar do roteiro, reforçando a todo tempo a mensagem de que, qualquer que seja o rumo que as coisas tomem, só há um fim possível.

A película é repleta de atores não profissionais que se apresentam com desenvoltura pela única rua principal de Bacurau, cercada de casebres, um museu, uma escola e uma igreja que não está fechada, mas sempre vazia.

Não espere se identificar com algum personagem, com algum protagonista, porque não há. O elemento principal do filme é a própria Bacurau que luta e resiste historicamente, como cada um de nós. Luta por sua territorialidade espacial, social, cultural, luta por sua liberdade.

Não se assuste também com a narrativa pulando de um gênero a outro sem fazer cerimônias, o que tinha tudo pra se transformar em um tremendo caos narrativo dá certo, aparecendo como uma estrutura muito bem construída e sem elementos conflitantes: Glauber Rocha, John Carpenter, e um quê tarantinesco.

No final, cabe a nós esperar, rezar, lutar, fazer qualquer coisa para que a nossa realidade consiga acompanhar a ficção de Bacurau.

Foto: Divulgação

Marcelo Minka

Graduado em licenciatura em Artes Visuais, especialista em Mídias Interativas e mestre em Comunicação com concentração em Comunicação Visual. Atua como docente em disciplinas de Artes Visuais, Semiótica Visual, Antropologia Visual e Estética Visual. Cinéfilo nas horas vagas.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.