Skip to content

Transcender

Superar, elevar-se sobre, ir além… Pablo Picasso disse uma vez, que e “era preciso conhecer todas as regras das artes e depois quebra-las”!

Tanto na vida quanto na arte, isso é muito verdadeiro. É necessário saber todas as técnicas possíveis e depois usa-las para desenvolver a própria linguagem e um estilo diferente! Aliás, “estilo” é o modo que um indivíduo usa para expressar-se por palavras, imagem e etc. Sendo assim, cada um tem o seu!

Uma das perguntas que mais respondo é: “qual o seu estilo”?! Na acepção da palavra eu diria que é o “angestilo”, o que pode parecer uma resposta boba, mas profunda…Pois cada um desenvolve meios de expressões tão diferentes quanto o DNA.

O ser humano, por viver em sociedade, criou meios para interagir, mas infelizmente e como tudo tem seu lado ruim, para “fazer parte de um grupo”, costumamos tentar parecer um com os outros… Os “modismos” que nivelam todos da pior forma possível! Um exemplo é a mania agora de todo mundo ter sobrancelhas grossas, olhamos para as pessoas e todas estão com um risco grosso e escuro, quase como uma maquiagem de esculturas egípcias…Nada favorável para a maioria dos rostos que, tirando sérios problemas capilares, elas são perfeitamente desenhadas pela natureza para cada formato de olhos. (Vejam bem! Não quero dizer que não possamos melhorar o design de cada uma, mas os modismos nos jogam para o mesmo destino: todo mundo ser igual…quase como vestir um calçado 34 quando seus pés são tamanhos 37).

Talvez por isso artistas são tratados de “esquisitos”, “estranhos no ninho”, “ovelhas negras, e isso serve para todos que não querem seguir padrões impostos pela sociedade vigente.

Especificamente dentro do mundo das artes, quase todos os artistas passam pelas mesmas técnicas e por experiências semelhantes, aprendem sobre sombra, luz, cores, espaço, processo de criação, e sobre outros artistas, e conseguem ainda por cima transcender! Ou seja, conseguem criar uma linguagem que vai, inclusive além dele mesmo! Quebram padrões e crenças dos outros e pessoais e encontram formas próprias para descrever o mundo interno e o externo.

Artistas, muitas vezes, são odiados apenas por serem “diferentes”, talvez por terem coragem de desafiar os padrões que ninguém no final das contas sabe de onde vieram…O ser humano é o único animal pensante que nasceu para ser único e vai contra sua natureza que, ao invés de alimentar sua capacidade de fazer diferente e ser diferente um do outro, tenta a todo custo ser igual.

O transcender nas artes diz respeito também a ser o que o artista nem imagina de si mesmo, a criar imagens que ele nunca sequer pensou em fazer, a elevar-se acima da media e realmente fazer algo de grande valor, único, instigante! Senão, nem tem sentido fazer arte.

A arte tem que valer a pena! Tem que ter um significado maior que apenas nascer, crescer e morrer. Ela sobrevive aos séculos, e sempre tem algo de importante a dizer!

Para quem quer ser artista e acha que fazer cópias ou fazer o que dá dinheiro apenas, é melhor não fazer. Em nenhuma profissão o desejo único de ganhar dinheiro sem dar nada de sim mesmo dá certo! Nas artes isso é impossível!

É sim, possível ser um grande profissional e os lucros advirem disso, mas a arte esta intrinsecamente ligada á alma, o mesmo tanto de si que o artista dá para  a  arte é o que ele vai receber em troca…Muitas vezes o dobro! A arte, diferente das pessoas, nunca decepciona!

Fotos: Acervo Pessoal

Angela Diana

Sou londrinense e me dedico à arte desde 1986 quando pisei pela primeira vez no atelier de Leticia Marquez. Fui co-fundadora da Oficina de Arte, em parceria com Mira Benvenuto e atuo nas áreas de pintura, escultura, desenho e orientação de artes para adolescentes e adultos.Compartilhar:

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.