Skip to content

Audiência pública discutirá formas de revitalização do Centro

Coordenado pela Comissão de Política Urbana e Meio Ambiente, encontro será na segunda-feira (6), às 19 horas, na sala de sessões da Câmara

Calçadas esburacadas, aumento da população em situação de rua, esvaziamento após o horário comercial, insegurança e falta de conservação de espaços culturais e turísticos. Essas são algumas das situações denunciadas por moradores do Centro da cidade e que serão discutidas na segunda-feira (6), às 19 horas, em audiência pública sobre a “Revitalização da Região Central de Londrina – Problemas, Propostas e Ações”. O encontro, solicitado pela Associação Concha dos Amigos e Moradores do Centro Histórico de Londrina, será coordenado pela Comissão Permanente de Política Urbana e Meio Ambiente da Câmara e ocorrerá na sala de sessões do Legislativo, com transmissão online pelo site www.cml.pr.gov.br e pelo canal da Câmara no Youtube.

Presidente da Associação Concha, a advogada Solange Gaya de Oliveira mora com a mãe no Edifício Centro Comercial, em frente da Concha Acústica. Ela lamenta o abandono de uma região que pode ser considerada um polo cultural, reunindo espaços como a Secretaria Municipal de Cultura, o Centro Cultural Sesi/AML, a Biblioteca Pública Municipal e o jornal Folha de Londrina, além do Bosque Municipal Marechal Cândido Rondon. Segundo Solange, se os espaços públicos fossem bem conservados, poderiam atrair os turistas que se hospedam nos diversos hotéis do Centro, entre eles Bourbon, Crillon e Bristol. Ela diz que há muito lixo no bosque e faltam segurança e iluminação. Outros problemas são as condições das calçadas e de árvores da região. “Aos domingos você vê senhoras voltando da missa e caindo nos buracos, além de pessoas sendo assaltadas”, conta.

A insegurança local é apontada também pela vice-presidente da Associação Concha, Iara Franco Coutinho Hernandes. “Não é só uma sensação de insegurança, a insegurança é real. Volta e meia escutamos pessoas gritando por socorro. Meu marido mesmo estava indo para a igreja dia desses quando foi abalroado por um assaltante e caiu. O criminoso só não levou nada porque algumas pessoas viram e saíram correndo para ajudar. Falta uma presença mais maciça dos órgãos de segurança. Além disso, temos pouquíssimas câmeras no Centro e muitas não funcionam”, diz.

A concentração de pessoas em situação de rua em cartões-postais da cidade, como a Concha Acústica e o Bosque, é outra reclamação dos moradores. “Temos que encontrar uma forma de convivência digna, para nós e para eles”, avalia Solange. De acordo com ela, será importante levar as demandas da região para a audiência. A presidente da associação ressalta que os vereadores têm papel importante na criação de políticas públicas para que essa população não faça mais das ruas o seu local de moradia e tenha acesso aos albergues e abrigos do município.

Segundo o vereador Pastor Gerson Araújo (PSDB), presidente da Comissão de Política Urbana e Meio Ambiente, a audiência permitirá ouvir todos os lados, garantindo conclusões mais acertadas. “A comissão já estava preocupada com o assunto, considerando vários pedidos dos moradores do entorno da Concha Acústica e de quadras próximas sobre a recuperação do Centro Histórico e também a respeito das pessoas em situação de rua. Conversando com a presidente da Associação Concha, julgamos ser necessário, antes de qualquer iniciativa, convocar uma audiência pública”, afirma. Além de representantes dos moradores, igrejas e comerciantes da região, foram convidados para a audiência representantes das secretarias municipais de Assistência Social, Saúde, do Ambiente, do Idoso e da Cultura, além da Guarda Municipal, do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) e da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.