Por Rogério Rigoni

Fala, meninas e meninos do ROCK!

No meu tempo de adolescência, eu vi um EP amarelo, que para mim foi uma grande novidade, pois a maioria, tanto EP como LP, eram todos pretos. Pensei: “esse povo que faz os discos poderiam fazer uns discos coloridos”.

Quando comecei a comprar vinil só tinha preto, nessa eu lembrei daquele amarelo e fiquei pensando: “Eles não vão mais lançar vinil de cores variadas? ” Mas, não, eles não lançavam, era só e preto e já era.

Passaram anos e com ele chegou o CD. Aos poucos as lojas de discos foram fechando, uma a uma. E agora? Onde comprar discos? Foi quando, por curiosidade, entrei em um sebo. Para minha surpresa de adolescente, eu vi duas ou três prateleiras lotadas de vinil (todos na cor preta)! Menos mal, agora sabia onde adquirir vinil, mesmo não tendo todos que eu estava a fim.

Lembro que, um dia, fui atrás do “Viva” do Camisa de Vênus, quando um disco do Guns’N Roses me chamou a atenção. A capa era inteira branca e quando tirei o disco para dar uma olhada, quase caí de costas. O disco era espelhado, não dava para ver nem a divisão das músicas entre uma música e outra. Eu fiquei louco para comprar aquele vinil. Lógico que o preço era bem mais caro que os outros vinis. O negócio era tentar juntar uma grana e buscar o disco depois, torcendo para que ninguém comprasse.

Dois dias depois eu consegui a grana e corri para o sebo buscar o disco, procurei, procurei e nada. Então resolvi perguntar para um dos meninos do setor de discos. Para minha surpresa, o cara falou: “Vixi, irmão, o disco chegou aquele dia que você veio aqui e, quando foi final de tarde, veio um cara e comprou”. Cara, eu fiquei muito puto da cara, um disco daquele você não acha mais em lugar algum, devia ter sido uma edição limitada e acho que era importada.

Agora, quase 40 anos depois, os discos mudaram. Eles estão vindo coloridos, de várias cores, transparentes e alguns parecem que foram pichados. Sim! Apesar do preço dos vinis estarem bem salgados, você tem vontade de adquirir um só com os olhos, de tão bonitos que estão chegando.

Há menos de um mês, abriu uma loja aqui em Londrina, especificamente na galeria do Centro Comercial, a “Maluca Discos”. Eu tenho até medo de ir lá, só de acompanhar pelo Instagram eu já fiquei loco, imagina ao vivo. Mas não vai ter jeito, eu vou ter que conhecer essa loja, de um jeito ou de outro. Mesmo que for só para ficar babando nos vinis.

Que massa, nunca iria imaginar que com cinquenta anos eu estaria aqui para ver essas maravilhas!

Tem também a Otitis Media Records que lança um vinil mais lindo que o outro. Entra no Instagram deles e confere (@otitis_media_records).

Se você também é apaixonado por vinil, deve estar curtindo essa nova onda dos vinis coloridos. Fora que agora tem um monte de banda foda lançando os álbuns em vinil, tem até alguns com edição limitada. (Que falta faz um din-din nessas horas, não é mesmo?)

Bom, até lá, é só ficar babando nesses lançamentos e suas cores variadas. Tá aí uma boa dica para me presentearem. Abração e até quarta-feira que vem, e…

BORA PRO ROCK!

Rogério Rigoni

FALA, MENINAS E MENINOS DO ROCK”! Assim começa o programa “DNA Rock Paraná e o DNA Rock Brasil, pela radio web Antena Zero de São Paulo! Sou um dos apresentadores e falo do que amo desde que me conheço por gente: múica! E se for autoral, melhor ainda! E já que não tive uma banda, me realizo falando e escrevendo sobre rock and roll! Punk de alma e de coração, vivendo em paz ! E…BORA PRO ROCK!

Foto: Acervo pessoal

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.