Skip to content

O encontro inspirador entre arte e empreendedorismo

Por André Luiz Lima

Desde meus primeiros passos num palco improvisado no meu quarto até alcançar grandes palcos internacionais, minha vida tem sido uma contínua jornada de descobertas, desafios e, principalmente, empreendedorismo. Ser um artista não é apenas sobre expressão criativa; é também sobre ser um empreendedor astuto, um explorador de culturas, e um contador de histórias que transforma experiências em algo maior.

Essa reflexão sobre o empreendedorismo veio porque me deram um exercício para montar uma palestra sobre Empreendedorismo Interno e compartilho com vocês o meu encontro com o empreendedorismo que chamo “Histórias de Vida e Palco: “Empreender com Arte”.

Empreendedorismo com arte

Nasci rico em sonhos e aspirações, uma fortuna de valor inestimável. Minha trajetória não é um conto de fadas, mas uma narrativa de persistência, aprendizado e autodescoberta. Cresci entendendo que, como artista, sou um empreendedor natural, assumindo múltiplos papéis e navegando por uma variedade de culturas e experiências.

O autoconhecimento está no cerne da minha abordagem artística e empreendedora. Compreender quem sou, meus valores e o que posso oferecer ao mundo formou a base da minha jornada empreendedora. As lições que aprendi não vieram de salas de aula convencionais, mas de cada personagem que interpretei, de cada cultura que absorvi e de cada encontro humano que tive.

A arte pode ajudar muito no empreendedorismo, a partir do momento que ajuda a se conhecer e a enxergar além do óbvio, introduzindo novos conceitos e soluções
Acervo pessoal

“Empreender com Arte” é mais do que um relato de viagens e experiências artísticas. É uma imersão em técnicas que transcendem o palco e podem ser aplicadas no empreendedorismo e na vida diária. A importância de ‘Saber Chegar’, ‘Saber Ver’, ‘Saber Ouvir’ e ‘Saber Calar’ , pois são habilidades essenciais para qualquer empreendedor.

Uma experiência interativa com exercícios de respiração e consciência corporal, essenciais para qualquer ator, mas igualmente valiosos para empreendedores fazendo conexões a partir do aprendizado compartilhado onde todos estamos no mesmo barco e juntos fazemos melhor.

Na minha palestra, que prefiro chamar de “encontros”, compartilharei um processo que transcende o artístico para tocar o âmbito humano, centrado na obra “Lazarillo de Tormes”, marco no panorama da literatura universal, sendo considerado o fundador do romance picaresco. Divertida e, por vezes, comovente, a história do garoto Lázaro e de sua luta pela sobrevivência possui também um alto teor de crítica social, que profundamente afetou minha essência. Esta experiência, mais do que a representação de um papel, foi uma jornada de autodescoberta, aprendizado e conexão com dimensões que vão além do tempo e do espaço.

Garoto no Equador – Foto: Acervo pessoal

Durante os ensaios, realizados em um contexto cultural diverso – na realidade andina, longe do meu Brasil natal –, enfrentei desafios e descobertas significativas. A tarefa de internalizar o personagem Lazarilho, mantendo minha identidade, significou uma prática de desapego e uma imersão em um universo onde minhas crenças e hábitos foram constantemente postos à prova.

Sou grato por esses aprendizados, que me ajudaram a compreender melhor o valor de olhar além de mim mesmo e apreciar a profundidade e diversidade das experiências humanas. Neste encontro cheio de arte e inspiração, vou compartilhar com vocês histórias que marcaram minha vida, incluindo a aventura incrível que vivi no Equador sob a direção do genial Aristides Vargas. A peça, que adaptamos para ‘Como morria e ressuscitava Lázaro, o Lazarilho’, transformou profundamente meu jeito de ver o mundo, ensinando-me sobre a arte da disciplina, a beleza de ver além das aparências, e a magia de criar sem limites. Aprendi a falar com o coração, a organizar o caos criativo e, acima de tudo, a ser o motor das mudanças na minha vida, não apenas um espectador.

Esta experiência me ensinou a olhar o mundo por vários ângulos, a seguir os chamados do coração com persistência, misturando a precisão técnica com a explosão da criatividade. Aprendi a enxergar além do óbvio, a introduzir novos conceitos e soluções. Mais do que isso, me fez perceber que a jornada é tão valiosa quanto o destino final.

Sou profundamente grato por esses aprendizados, que ampliaram minha compreensão sobre a importância de transcender a própria perspectiva e valorizar a riqueza das experiências humanas.

Assim se revela a magia da arte dos encontros. Celebremos a vida!

Viva a Vida!

André Luiz Lima

Londrinense, ator, diretor, professor, palestrante e produtor cultural. Siga os Instagrans de André@allconnecting @aondevaiandre

Leia todas as colunas sobre A Arte dos Encontros

(*) O conteúdo das colunas não reflete, necessariamente, a opinião do O LONDRINENSE.

Fotos: Acervo Pessoal

Compartilhar:

1 comentário

  1. Sua “escrita” sempre me provoca emoções e curiosidade…Grata!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Designed using Magazine Hoot. Powered by WordPress.