5 dicas para escolher um bom chocolate

Chocolate com pouca massa de cacau é o que mais tem por aí. Fique atento para não comprar gordura hidrogenada sabor chocolate e ainda pagar caro por isso

Telma Elorza

O LONDRINENSE

Em épocas onde até o chocolate do Sonho de Valsa foi substituído por gordura hidrogenada sabor chocolate, é preciso ficar atento na hora de escolher o que vai consumir. Os ingredientes devem ser, por lei, listados nas embalagens por ordem de quantidade (como mostramos nesta coluna de Direito do Consumidor). Então, para ser considerado um verdadeiro chocolate, a massa (ou torta) de cacau deve estar, no mínimo, em segundo lugar na composição, atrás apenas do açúcar. Se estiver em primeiro, compre correndo.

Ler a listagem dos ingredientes nas embalagens é fundamental para começar a escolher. Um detalhe: chocolate branco não tem a massa de cacau, que dá a cor escura. Ele tem apenas manteiga de cacau, leite e açúcar – e a famigerada gordura vegetal – não necessariamente nessa ordem.

Para ajudar, perguntamos à nutricionista Valéria Mortara dicas para saber escolher um bom chocolate. Segundo ela, são coisas básicas que o consumidor deve ficar atento. Confira:

Observar a embalagem

“O primeiro passo é observar os rótulos e ver se o produto chama chocolate. Se ele tiver, ali no rótulo, mesmo que em letras menores, algo como cobertura ou composto sabor chocolate, não compre porque não é chocolate, mesmo que pareça chocolate”, diz.

Segundo ela, essa prática é também comum nos copos de requeijão. “A pessoa vê um produto em uma embalagem semelhante ao requeijão e compra sem observar que está lá algo como especialidade láctea sabor requeijão. E com o chocolate também acontece isso”, diz.

Essa observação é especialmente indicada para quem vai comprar o produto para fazer em casa, como ovos de Páscoa e bombons caseiros. “Existe a cobertura sabor chocolate que é pura gordura hidrogenada”, afirma.

Observar a quantidade de massa de cacau

“Um bom chocolate tem em sua composição massa e manteiga de cacau. Quanto mais massa de cacau tiver na sua composição, mais escuro ele vai ser. Quanto mais manteiga, mais claro. Então, na lista de ingredientes, a massa de cacau tem que estar lá na frente. E no branco, a manteiga de cacau tem que estar também nas primeiras posições”, afirma. Segundo ela, existem variações na qualidade da massa e da manteiga de cacau, mas isso só especialistas podem indicar. “Quanto mais artesanal forem produzidos os dois ingredientes, melhor. A indústria, no entanto, tem pressa e a produção sai de qualquer jeito”, diz.

O barato não é bom

Escolher um chocolate pelo preço também pode ser uma furada. “A maioria das pessoas procura preço e, portanto, não leva um produto de qualidade o muito barato não é bom. O chocolate em si é um produto caro e, se achar chocolate bom barato, provavelmente é fruto de mão de obra escrava. Não existe almoço grátis”, diz.

Gordura vegetal não é necessária

“Um bom chocolate não precisa de gordura vegetal hidrogenada ou esterificada. Se ele tem isso na composição é um chocolate batizado, para fazer volume na massa e aumentar o prazo de validade”, afirma Valéria.

Açúcar e adoçante não interferem na qualidade

“O açúcar ou adoçante/edulcorante não vai determinar se é um chocolate bom ou ruim. O que faz o chocolate ser ruim é a presença de gordura vegetal no lugar da manteiga de cacau”, explica a nutricionista.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.